PSD Paredes quer reduzir carga fiscal dos munícipes

Publicado em Publicado por: O Paredense


O PSD Paredes apresentou ao presidente da autarquia um conjunto de propostas para o Orçamento Municipal e Plano de Atividades para 2023.

O partido da oposição, em nota de imprensa, elenca, assim, as medidas que pretende ver implementadas nas várias áreas.

Focando-se na redução da carga fiscal dos munícipes, os social-democratas consideram que deve existir isenção de IMT para os jovens até aos 35 anos na compra de habitação própria e permanente no concelho de Paredes, com valor até 175 mil euros, bem como a devolução aos munícipes dos 5% do valor do IRS que cabem ao município. A isenção da Derrama Municipal de forma a atrair investimento de empresas nacionais e estrangeiras foi outra das propostas.

Na saúde e apoios sociais, os vereadores do PSD intencionam o aumento da oferta e requalificação das habitações sociais; a implementação de uma Casa Abrigo e de um plano de proteção social para vítimas de violência doméstica; a promoção de rastreios de problemas de saúde na população, em especialidades como medicina dentária, cardiologia e pneumologia; o aumento dos apoios às corporações de bombeiros e às delegações da Cruz Vermelha do Concelho; e a implementação da tarifa social da água.

No âmbito da cultura e desporto, a realização da Bienal da Cultura de Paredes; a descentralização dos eventos enquadrando todas as freguesias; um melhor aproveitamento e melhor agenda do Palacete da Granja; e a criação de estúdio de apoio a bandas de garagem e músicos amadores são as ideias visadas.

No documento enviado, o PSD Paredes destaca que a promoção da natalidade deve ocorrer através da atribuição de um subsídio de mil euros (metade logo após o nascimento e o restante na entrada para o 1.º ciclo, caso continue no concelho, em que metade desse valor terá de ser gasto no comércio local do concelho). Ainda para a infância e juventude, pretende o transporte gratuito para todos os estudantes do ensino básico e secundário; o apoio às crianças dos 1.º e 2.º ciclos, nos períodos pós-escolares e nas interrupções letivas; a instalação de parques infantis em espaços públicos; a implementação do Orçamento Participativo Jovem; investir nas respostas ao nível da Formação Profissional e Ensino Superior; e criar e dinamizar uma Feira de Formação e Emprego no concelho.

Ao nível ambiental, o principal partido da oposição quer resolver a situação do abastecimento de água e saneamento em todo o concelho; a criação de parques de matilhas em várias freguesias do concelho como forma de apoiar o Canil Municipal e promover a esterilização gratuita dos animais errantes, bem como apoiar as associações e amigos dos animais abandonados. Criar incentivos à reflorestação com árvores autóctones de forma a que a prazo possam ser utilizadas nas indústrias de mobiliário e carpintarias do concelho; despoluir os Rios Ferreira e Sousa e criar percursos pedestres ribeirinhos nas suas margens; promover a mobilidade estratégica de baixo teor de carbono, criando espaços de estacionamento dedicados, uma rede de carregamento de viaturas elétricas com pontos de carga em todas as freguesias e uma rede de ciclovias; implementar uma estratégia para a redução de resíduos indiferenciados de forma a reduzir a Taxa de Gestão de Resíduos, através de campanhas para o aumento da reciclagem, criar mais pontos de recolha dos resíduos recicláveis; diluir a Taxa de Gestão de Resíduos, de maneira a que o valor total até aqui pago pelos munícipes, relativo aos resíduos sólidos se mantenha; e melhorar o serviço de alimentação nas cantinas escolares são outras das medidas que constam no documento enviado por Ricardo Sousa, líder do PSD Paredes.

Em termos de mobilidade e urbanismo, os social-democratas ambicionam a elaboração e implementação de um Plano Municipal de Promoção das Acessibilidades nos edifícios públicos para cidadãos invisuais ou com mobilidade reduzida; que seja fomentada a habitação a custo controlado; requalificada a Rede Viária Municipal, assim como implementado um Projeto de Urbanismo Comercial, que requalifique a Zona Nobre da Cidade de Paredes.

O PSD Paredes quer que o executivo socialista exija mais competências para o Tribunal de Paredes, “de forma a corresponder aquilo que o concelho merece por direito próprio”, considerando que é preciso avançar com a remodelação do edifício do Tribunal de Paredes.

Por último, na saúde, os social-democratas paredenses defendem a criação de uma Unidade Local de Saúde e a implementação de dois Serviços de Atendimento de Situações Urgentes (SASU) com horário até às 24h00.