PSD não quer que paredenses paguem Taxa de Gestão de Resíduos

Publicado em Publicado por: O Paredense

Os elementos da vereação social democrata em Paredes emitiram um comunicado a “repudiar” a implementação da Taxa de Gestão de Resíduos (TGR) no concelho, alegando “que vai provocar um aumento de 40% nos bolsos dos paredenses”.

Em comunicado, a oposição acusa o autarca socialista, Alexandre Almeida, de tentar, a todo o custo, amealhar alguns milhares de euros, para estabilizar a sua tesouraria, à custa dos munícipes”, frisando ainda que o responsável pelo executivo “não perde uma oportunidade para aumentar a carga fiscal dos paredenses.”
Ricardo Sousa, vereador social-democrata e Presidente da Concelhia do PSD de Paredes, exige que Alexandre Almeida tenha em consideração as dificuldades financeiras com que os paredenses se debatem” e não aplique este aumento.

É necessário rever toda a estratégia e não pensar que é criando uma fábrica de lixo que vai resolver por si só o problema. A quantidade de resíduos indiferenciados está a aumentar quando o caminho devia ser diminuir”, alerta Ricardo Sousa.

Contactada pelo Paredense, a autarquia esclarece que “a taxa de gestão de resíduos (TGR) é uma taxa nacional obrigatória por lei, que todos os municípios estão a cobrar.” Contudo, “os munícipes paredenses que não tiverem condição de pagar, fazem o pedido de isenção à ação social e serão isentos à semelhança do que acontece com a isenção da taxa do lixo”.