Novos sintéticos em Baltar e Vandoma vão dar apoio à formação

Publicado em Publicado por: O Paredense
Assinatura do protocolo com o USC Baltar.

Foram assinados este sábado, dois protocolos de desenvolvimento desportivo com o USC Baltar e o CF Vandoma para a colocação de relvados sintéticos nas instalações dos dois clubes.

Em Baltar, o sintético vai ser construído no antigo campo de futebol, junto à igreja, que foi desocupado depois da inauguração do novo complexo desportivo do clube. O investimento do município será de mais de 150 mil euros, devendo a obra estar concluída dentro de dois meses e meio.

Em Vandoma, também será instalado um sintético no campo de futebol da freguesia, num investimento de cerca de 220 mil euros. Ambos os equipamentos vão ser utilizados para dar apoio à formação de atletas.

Na cerimónia de assinatura do protocolo, o presidente do USC Baltar, Isidro Almeida, disse que este sintético é “um sonho realizado” para o clube que “há pouco tempo não tinha um campo e agora vai ter dois”. “A freguesia de Baltar, em termos de desporto, vai ficar servida por muitos anos com condições que nem em sonhos pensava que fossem exequíveis. Não há palavras para este feito que está a acontecer aqui hoje”, disse o dirigente, agradecendo aos colegas da direção, aos sócios, patrocinadores e a quem ajudou o clube a crescer nos últimos anos.

Jorge Coelho, presidente da junta de Baltar, disse que o novo sintético “vai ser uma mais-valia para toda a comunidade e para as instituições” da freguesia e propôs a atribuição do nome Manuel Joaquim Martins ao futuro complexo, em homenagem ao proprietário que doou o terreno ao clube.

Assinatura do protocolo em Vandoma.

Em Vandoma, o presidente do clube garantiu que o novo sintético era ambicionado há mais de 10 anos. “Somos o único clube da série em campo pelado e alguns jogadores não querem jogar aqui por isso. Já chegamos a ter cinco equipas e cento e tal atletas nas camadas jovens, mas agora só temos seniores”, afirmou Cirilo Neves, explicando que o clube foi perdendo atletas para outros clubes devido à falta de condições.

Na próxima época, o clube pretende reativar a formação, com a criação de escolinhas e juvenis, e continuar a apostar nos seniores, que já estão a trabalhar para a nova temporada, com um treinador novo e ambicioso.

Também o presidente da junta de Vandoma, José Magalhães, sublinhou que esta obra era um anseio antigo do clube, sendo uma mais-valia para o clube e os jovens da freguesia.

O presidente da câmara de Paredes, Alexandre Almeida, lembrou que depois da instalação de sintéticos em Parada e na Sobreira e da conclusão do novo complexo desportivo de Baltar o município avançou com outros investimentos para apoiar a formação de atletas.

Foram identificados quatro clubes prioritários para a instalação de sintéticos: Baltar, Vandoma, Sobrosa e Beire.

“Em Baltar havia necessidade de colocar um sintético no antigo campo, onde continua a haver formação. Além disso, tínhamos demolido a sede e um polidesportivo que eles utilizavam para requalificar o largo no centro de Baltar e havia que compensar o clube noutro lado. Em Vandoma já havia algumas condições, mas faltava o sintético que vai ser uma realidade agora”, explicou o autarca, adiantando que em junho será lançada a obra em Sobrosa e em Beire até ao final do ano.

“Espero que sirva para vocês cativarem ainda mais camadas jovens”, sublinhou Alexandre Almeida, garantindo que o campo “vai ficar enquadrado” com o parque urbano que vai nascer na zona envolvente até ao verão.

“A aposta no desporto tem sido muito grande e é para continuar”, acrescentou. No final do mês será lançado o sintético no Sobrosa e ainda antes do final do ano em Beire.