Novo projeto artístico-cultural vai levar música, artes e património a várias freguesias do concelho

Publicado em Publicado por: O Paredense
Foto: CM Paredes.

Foi apresentado no passado dia 2 de junho, na Casa da Cultura de Paredes, o Mappa 21, um projeto artístico-cultural de programação em rede que vai decorrer entre junho e outubro e levar música, artes e património a várias freguesias do concelho.

A iniciativa do município de Paredes, que tem coordenação e conceção artística a cargo da Associação Astro Fingido, pretende “facilitar o acesso e a participação da população e de visitantes em práticas culturais e artísticas que promovam experiências diferenciadoras em contextos de interação com o património cultural e natural do concelho”.

Citado em nota de imprensa, o presidente da câmara, Alexandre Almeida, destacou a descentralização das iniciativas culturais do MAPPA, que além da sede do concelho vão passar, entre outros locais, por Gandra, Lordelo, Baltar, Vilela, Rebordosa, Cete, Louredo e Sobrosa.

“Queremos criar públicos para a cultura. Queremos ter a Cultura a fervilhar aqui em Paredes. Cada vez mais é de sublinhar o trabalho em rede envolvendo os diversos agentes culturais, nomeadamente as nossas associações locais que dão um grande contributo para a diversidade cultural de Paredes e para o desenvolvimento de novas atividades culturais”, acrescentou.

“Vão existir muitas surpresas, isto para podermos atrair o denominado ‘público cultural’ ao Concelho”, adiantou Beatriz Meireles, Vereadora da Cultura da Câmara de Paredes adensando a curiosidade suscitada pelo Mappa 21. “Um projeto dentro do Projeto Cultural do Município”, concluiu. Por seu turno, pela Astro Fingido, a entidade de quem depende a coordenação e conceção artística do Mappa 21, Fernando Moreira e Ângela Marques destacaram no todo a programação e garantiram: “A circulação dos eventos pelo território é garantida” e algo que não é de somenos importância: “A programação tem a colaboração de artistas e associações locais.”   

FOTO: CM Paredes.

A apresentação do projeto coincidiu com a inauguração da exposição de azulejaria da autoria de Henrique Silva, um dos artistas vivos mais ilustres do concelho”, que foi também homenageado.

O tributo foi organizado pela Câmara de Paredes em conjunto com a companhia Astro Fingido e incluiu palavras de admiração e devoção ao artista e à obra que o artista plástico nascido em Castelões de Cepeda há 87 anos deixa como legado aos vindouros, estando ainda vivo.

Para o presidente da Câmara de Paredes, Alexandre Almeida, “a homenagem ao Mestre Henrique Silva é a melhor forma de perpetuar a obra do pintor que tem ligações familiares a Paredes”.

Presentes no evento estiveram Kiko Silva, filho do artista plástico, representantes da Astro Fingido e da Cooperativa Árvore do Porto que evocaram a figura e o percurso do homenageado, o trabalho na Cooperativa Árvore e a colaboração com a Bienal de Cerveira.

PROGRAMAÇÃO

JUNHO                                  

DIA 13 (domingo) 11h – inauguração Museu Móvel – Patrick Hubmann – Parque José Guilherme/Paredes

DIA 19 (sábado) 21h30 – Concerto falado – Nickelharpa – Mosteiro de Cete (Ângela Marques)

JULHO

DIA 24 (sábado) 21h30- Concerto falado – Guitarra – Vilela (Fernando Soares)               

DIA 21 (quarta) 18h – Inauguração Museu Móvel da cidade – Patrick Hubmann – Gandra                                              

AGOSTO

DIAS 7 e 8 (sábado e domingo) – Torna-viagem – Mena Gigante (8 apresentações)                    

DIA 14 (sábado) 21h30 – Concerto falado – Nickelharpa – Torre dos Alcoforados (Ângela Marques)

DIA 17 (terça) 18H – Inauguração Museu Móvel da cidade – Patrick Hubmann – Rebordosa                             

SETEMBRO

DIA 6 (segunda) 18H – Inauguração Museu Móvel da cidade – Patrick Hubmann – Lordelo (ATÉ 30/9)           

DIA 10 (sexta) 21,30H – Concerto falado – Guitarra – Baltar (Fernando Soares)                                                 

DIA 25 (sábado) 21,30H – Teatro – O que ficou – Quinta do Sobrado de Cima/Louredo  

OUTUBRO

DIA 8 (sábado) 21,30H – Teatro – O que ficou – Casa da Torre/Sobrosa