Incidência de AVC tem aumentado na região. CHTS recebe 300 a 400 casos por ano

Publicado em Publicado por: O Paredense
Foto: DR.

O Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa recebe por ano 300 a 400 casos de acidentes vasculares cerebrais (AVC).

Filipa Carneiro, diretora clínica do CHTS, diz que a unidade de AVC deste centro hospitalar é a 5.ª do país com maior número de doentes com diagnóstico de AVC, um número que tem vindo a subir na região.

Nas jornadas dos Técnicos Superiores de Diagnostico e Terapêutica do Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa, que decorreram no Hospital Padre Américo, em Penafiel, a 29 de outubro, a diretora clínica Filipa Carneiro frisou que o AVC é uma patologia que envolve diversas áreas profissionais, inter e multidisciplinarmente e felicitou a iniciativa, elogiando a “grande diferenciação que existe no grupo de TSDT”.

Mário Pires, técnico superior de diagnostico e terapêutica e membro da direção do Departamento de Ambulatório e Ligação Funcional, referiu que “este é um momento importante para a partilha de conhecimentos entre profissionais de saúde”, tendo em conta que “o doente com diagnóstico de AVC exige a atuação de uma equipa multidisciplinar que o acompanha desde a admissão no Serviço de Urgência até à alta hospitalar, desde o assistente operacional até ao médico que dá a alta”. 

Ao longo do dia foi abordado todo o percurso do doente com diagnóstico de AVC e a atuação dos diversos profissionais. A iniciativa contou com a participação de enfermeiros e médicos das especialidades de Medicina Interna, Cardiologia, Fisiatria e Neurologia e terminou com uma conferencia de José Castro Lopes, presidente da Sociedade Portuguesa do AVC, que abordou o tema “O papel da Sociedade Portuguesa do AVC na comunidade”.