Primeira semana de janeiro será de “contenção de contactos”, com teletrabalho obrigatório e discotecas enceradas

Publicado em Publicado por: O Paredense
Foto: TIAGO PETINGA/LUSA

O primeiro-ministro, António Costa, anunciou esta quinta-feira, novas medidas de combate à pandemia da Covid-19, que incluem a declaração de calamidade a partir de 1 de dezembro, o regresso do uso obrigatório de máscara em espaços fechados e o certificado digital no acesso a restaurantes, hotéis e alojamentos locais e eventos com lugares marcados.

Passa a ser também obrigatório apresentar um teste negativo à Covid-19 nas visitas a lares e a doentes internados em estabelecimentos de saúde, mesmo quem já foi vacinado, e para aceder a grandes eventos sem lugares marcados, recintos desportivos, discotecas e bares.

No controlo nas fronteiras a regra passa a ser teste negativo obrigatório para todos os voos que cheguem a Portugal. As companhias de aviação que não cumprirem serão alvo de sanções “fortemente agravadas”, que podem chegar à suspensão das licenças de voo.

O Governo pretende ainda contratar empresas de segurança privada para fazer uma “verificação sistemática, e já não aleatória,” de todas as entradas em Portugal.

Após o período de Natal e Ano Novo em que é previsível um aumento das infeções haverá uma “semana de contenção de contactos”, de 2 a 9 de janeiro, em que o teletrabalho será obrigatório e as discotecas estarão encerradas.

O Conselho de Ministros decidiu ainda adiar o início do 2.º período letivo para 10 de janeiro. A medida aplica-se a todos os graus de ensino e às atividades dos ATL e abrange creches e escolas do ensino privado.

Para evitar o excesso de contágios António Costa recomendou ainda a realização de autotestes sempre que possível, por exemplo nas vésperas e dia de Natal. O teletrabalho também é recomendável.

O Governo vai ainda reforçar o esforço de vacinação através da terceira dose de reforço para os mais velhos e pessoas com prescrição médica.