Contas de 2020 aprovadas com abstenção do CDS e votos contra do PSD

Publicado em Publicado por: O Paredense

Foi aprovado, na Assembleia Municipal de Paredes, por maioria, o relatório de gestão e contas de 2020 da câmara municipal.

O presidente da câmara e a bancada do PS destacaram a “gestão transparente, responsável e equilibrada” que permitiu reduzir novamente o passivo e continuar a fazer obra em todo o concelho. “Não há milagres. Conseguimos reduzir o passivo e fazer obras explorando ao máximo os fundos comunitários que estavam à nossa disposição”, apontou Alexandre Almeida.

O PSD falou num volume de gastos superior às receitas e de terem sido amealhados mais impostos e transferências correntes do Orçamento do Estado. “O milagre é este, o resto é o malabarismo das contas”, criticou Alberto Soares Carneiro.

O relatório de gestão e contas foi aprovado com os votos a favor do PS e CDU e de dois presidentes de junta eleitos pelo PSD (Américo Castro, de Sobrosa, e José Borges, de Louredo). O CDS absteve-se, assim como os restantes presidentes de junta do PSD. Já a bancada social-democrata votou contra.

“Iremos continuar a fazer obra, aproveitando ao máximo os fundos comunitários que estão à nossa disposição

– Alexandre Almeida, presidente da câmara Paredes

O presidente da câmara de Paredes foi o primeiro a falar das contas do ano passado, salientando que refletem uma vez mais uma redução do passivo, que passou de 88 milhões de euros em 2019 para 83 milhões de euros em 2020.

O autarca lembrou ainda que entre 2017 e 2020 o passivo baixou 20 milhões de euros e garantiu que para o ano o passivo não vai aumentar. “Iremos continuar a fazer obra, aproveitando ao máximo os fundos comunitários que estão à nossa disposição”, sustentou.

A notícia completa na edição em papel de 1 de julho de 2021 ou na edição online.