Vitória “arrancada a ferros”

Publicado em Publicado por: O Paredense

Texto escrito por Cristina Borges.

Ainda os adeptos não estavam devidamente instalados no Complexo Desportivo Monte de Azevido e já o Rebordosa perdia. A equipa da casa sofreu o golo logo na primeira jogada do encontro através do remate de Freitas. Estava feito o 1 – 0 aos vinte segundos do encontro.

O golo abalou os rebordosenses que acusaram alguma intranquilidade. Exemplo disso foi o cabeceamento de Teixeira que não foi na direção da baliza. Logo a seguir, foi Cláudio a tentar a sorte mas o remate também não saiu com pontaria afinada.

A equipa de Tonanha “recompunha-se” e conseguiu mesmo empatar a partida, aos 35 minutos, com o golo de Pipo. Pouco depois, o avançado teve nos pés a oportunidade de visar, mas o remate saiu ao lado. O São Pedro da Cova respondeu, mas “não teve cabeça” para faturar.

Mesmo em cima do intervalo, o cabeceamento de Vieira quase permitia ao conjunto de Rebordosa colocar-se em vantagem mas o empate iria manter-se até ao intervalo.

No segundo tempo, os homens da casa entraram determinados a conquistar o triunfo mas a finalização parecia não estar bem estudada.

O São Pedro da Cova apostava sobretudo em transições rápidas, mas sem conseguir levar perigo à baliza defendida por Rica.

E quando o jogo parecia prever o empate, eis que, em cima do minuto 90, Ricardo Teixeira “virou herói” e marcou o golo que daria o triunfo à equipa de Rebordosa.

Com a vitória, o Rebordosa somou oito pontos e ocupa atualmente o 5º lugar da tabela classificativa. O São Pedro da Cova tem apenas um ponto e está na última posição.


No final da partida, Tonanha considerava que se fez justiça no marcador: “Foi um jogo aceitável, com uma vitória justa, criámos mais oportunidades e fomos a equipa que mais dominou durante os 90 minutos”.

O treinador rebordosense afirmou que estava preparado para as dificuldades que o adversário poderia impor: “ O São Pedro da Cova jogou, neste encontro, com mais dois atletas novos. As equipas ainda estão numa fase muito prematura do campeonato, não há jogos fáceis, e eu avisei os meus jogadores de que o resultado deste adversário na jornada anterior não espelhava certamente a diferença entre as duas equipas”.

Tonanha parabenizou os seus atletas “Os meus jogadores foram bravos e acreditaram até ao fim que era possível vencer e estão de parabéns” e apontou as razões para ainda não ter apresentado uma equipa sem mudanças no onze principal: “Obviamente que ainda há umas indecisões, embora tenhamos ficado com a maioria do plantel da época passada também temos novos atletas que têm o seu período de adaptação. É natural que ainda não haja um onze definido e se calhar nunca vai haver, porque todos os jogadores têm qualidade para jogar. Os atletas têm de estar atentos e trabalhar para merecerem a oportunidade. Tudo se resume a uma questão de rendimento, quem tiver rendimento continua na equipa, caso não tenha será substituído por outro que terá de agarrar a corresponder”.

Questionado sobre as armas que o plantel possui para “atacar” os primeiros dois lugares do campeonato, o técnico do Rebordosa respondeu: “Não sei dizer se tem armas suficientes para disputar os primeiros lugares da divisão. É verdade que no ano passado tínhamos mais soluções, embora este ano também tenhamos soluções. Tenho apenas uma certeza é de que vai ser muito complicado e os adeptos não podem fazer comparações com a época anterior, porque não há comparação possível. Cada época tem a sua história e acho que o que fizemos será quase inatingível”.

Do outro lado, Pedro Ferreira falava em injustiça no resultado: “Foi um jogo em que a minha equipa taticamente foi perfeita e o desfecho do resultado não transmite o que se passou dentro de campo. Soubemos sofrer, soubemos ter bola, formos perigosos e fomos muito fortes na receção à perda da bola, faltou apenas melhor critério na definição do último passe, se isso não tivesse acontecido teríamos somado os três pontos. Se tivéssemos sido mais eficazes na saída com bola e na receção à perda da mesma, onde saímos muitas vezes em contra-ataque e em vantagem, seríamos os justos vencedores”.

Apesar da derrota, o técnico da equipa gondomarense mostrava-se satisfeito com a exibição da equipa: “Saio de consciência tranquila e com a certeza de que a minha equipa fez tudo para sair daqui com os três pontos. Estou muito contente com a exibição e com a atitude dos meus jogadores”.

No comando da equipa há apenas duas semanas, Pedro Ferreira garante já ver melhorias no plantel: “Desde que eu entrei que se nota que a equipa está a melhorar e acho que este é o caminho que a equipa deve percorrer”.

 

Share This: