Vasco Rocha: “Estou feliz no Paços de Ferreira”

Publicado em Publicado por: O Paredense
Vasco Rocha tem contrato com os castores até ao final da época

Vasco Rocha tem contrato com os castores até ao final da época

Vasco Rocha está de regresso ao FC Paços de Ferreira esta época depois de na última temporada ter sido uma das grandes figuras da subida do Feirense à I Liga, onde jogou durante uma época por empréstimo dos castores.

O jogador de 27 anos, natural de Paredes, diz que está feliz no Paços de Ferreira e vai continuar a trabalhar para se afirmar no clube da capital do móvel. O contrato com o FC Paços de Ferreira termina no final desta época e Vasco Rocha não quer para já traçar cenários sobre o futuro. Assume que tem a mesma vontade de trabalhar para continuar a afirmar-se no clube.

Como tem corrido esta época no Paços de Ferreira?

A época tem corrido bem e estou feliz com isso. Agora tenho jogado mais e por isso tenho-me sentido melhor.

No último jogo da Taça da Liga frente ao Guimarães, o Vasco esteve em bom plano, apesar do resultado ter ditado a eliminação do Paços de Ferreira da competição. Qual é a análise que faz deste jogo?

Foi um bom jogo. Senti-me bem dentro de campo e acho que consegui ajudar a equipa. Não conseguimos a vitória, que era o objetivo que tínhamos em mente, mas acho que fizemos um bom jogo e eu com a ajuda dos meus colegas consegui fazer um bom jogo.

Joguei na posição (médio centro) que me sinto melhor e mais confortável e isso também ajudou a estar melhor em campo. Sou um jogador polivalente e consigo encaixar-me facilmente em várias posições, mas nesta estou mais à vontade. É claro que a ajuda dos meus colegas também foi importante para conseguir fazer um bom jogo.

Esta época fez apenas 5 jogos na I Liga, 1 na Taça de Portugal e 2 na Taça da Liga. Faltaram-lhe mais oportunidades para mostrar o seu valor para a equipa?

Acho que não. Todos os meus colegas se esforçam para jogar. Gostava de ter jogado mais é claro, mas se não joguei é porque tenho de trabalhar ainda mais para conseguir ser uma opção para o treinador.

 

 

Leia a entrevista completa na edição em papel de 26 de janeiro de 2017 ou subscreva a edição online.

Share This: