Urologia do CHTS já tem novo laser a funcionar desde janeiro

Publicado em Publicado por: O Paredense

O Serviço de Urologia do Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa (CHTS) iniciou o ano com um novo aparelho de laser para remoção de cálculos urinários, informou o CHTS.

“O equipamento representa um investimento de cerca de 42 mil euros e vem substituir o já existente, sendo mais rápido e mais moderno, o que vai permitir um reforço substancial dos cuidados prestados à comunidade”, explica o CHTS em comunicado.

Em 2018, no CHTS, foram realizadas cerca de 200 cirurgias para remoção de cálculos renais. Citado na nota de imprensa, o diretor do serviço de urologia do CHTS, Joaquim Lindoro, sublinha a importância da remoção destes cálculos que, “além do incómodo que causam aos doentes, em termos de dores e perda de sangue, levam à perda total do rim se não forem removidos”.

Este novo equipamento representa uma tecnologia com 15 anos de avanço relativamente ao existente. Vai permitir melhorar muito a execução da cirurgia mini-invasiva de todos os cálculos urinários, em especial dos cálculos renais mais volumosos, com a abordagem fina do rim pelas vias naturais, sem qualquer incisão.

 “Vai ser também possível tratar certos casos de pequenos tumores renais por via endoscópica, sem necessidade de cirurgia aberta que é mais agressiva para o doente”, salienta ainda o especialista.

O presidente do Conselho de Administração do CHTS, Carlos Alberto, não tem dúvidas que “os doentes da grande área de intervenção do CHTS vão ter acesso a novos, melhores e mais eficazes tratamentos desta especialidade, recorrendo a técnicas menos agressivas e mais poderosas para tratar situações mais complicadas”.

O Serviço de Urologia tem uma equipa constituída por seis médicos e cerca de 30 enfermeiros, divididos pelo Bloco Operatório e Internamento.

O antigo equipamento de laser vai continuar a ser utilizado na Unidade de Cirurgia Ambulatória para remoção de cálculos mais pequenos, desbloqueando assim o Bloco Central para as intervenções cirúrgicas mais complexas.

Share This: