Treinador do FC Parada: “O objetivo é ficar nos 5 primeiros”

Publicado em Publicado por: O Paredense
David Barbosa diz que a equipa podia ter arrancado melhor, mas está focada nos seus objetivos.

David Barbosa diz que a equipa podia ter arrancado melhor, mas está focada nos seus objetivos.

David Floriano Barbosa chegou ao FC Parada ainda na época passada, a 9 jornadas do final da época e conseguiu melhorar os resultados da equipa, que viria a terminar a época na 8.ª posição da tabela. Este ano, o treinador natural de Cete, voltou a assumir o comando da equipa sénior, que compete na 2.ª Divisão – série 2 – da AF Porto, com o objetivo de levar o FC Parada até aos primeiros lugares da tabela.

Na época passada o FC Parada terminou o campeonato em 8.º lugar. Considera o resultado final positivo?

Não considero que tenha sido positivo. O FC Parada tinha uma equipa para lutar pelos lugares cimeiros, e este ano também tem. Quando cheguei cá a equipa estava em 13.º lugar e vinha de uma série de 6 derrotas consecutivas. Tinha apenas 20 pontos em 19 jogos. O objetivo que coloquei à equipa quando cheguei foi fazer 20 pontos nos 9 jogos que faltavam. Nem toda a gente acreditava nisso, mas certo é que o conseguimos fazer os 20 pontos. Acabamos em 8.º lugar, mas para mim não foi de todo um lugar aceitável tendo em conta a qualidade da equipa.

Qual a meta a atingir esta época?

O objetivo é ficar nos 5 primeiros lugares do campeonato. Só depois de termos um relvado sintético é que podemos assumir candidatura à subida de divisão. O campo do FC Parada não tem a largura suficiente para jogar na 1.ª distrital e por isso uma subida iria significar que a equipa teria de andar com a casa às costas para Paredes.

Considera que o FC Parada entrou bem no campeonato, tendo em conta os resultados obtidos até agora (4 vitórias, 2 empates e 2 derrotas)?

Para mim não é positivo. Temos equipa para conseguir resultados muito melhores. Nos dois jogos em que empatamos fora, sofremos 2 golos já depois da hora. No jogo com o Sobreirense desperdiçamos um penalti e acabamos por sofrer o golo do empate aos 96 minutos. Contra o Frazão foi a mesma coisa. Estávamos a ganhar 2-1, voltamos a falhar uma grande penalidade e depois aos 93 minutos o Frazão marcou o golo do empate.

Não podemos estar contentes. Temos que ser muito mais sérios a abordar os jogos, para alcançar vitórias tanto em casa como fora.

 

Leia a entrevista completa na edição em papel de 1 de dezembro de 2016 ou subscreva a edição online.

Share This: