Sobreviventes de cancro podem vir a trabalhar apenas 30 horas por semana

Publicado em Publicado por: O Paredense
O texto do documento será agora apreciado em Plenário.

O texto do documento será agora apreciado em Plenário.

Os sobreviventes de cancro podem vir em breve a trabalhar no máximo 30 horas por semana e a reformar-se aos 60 anos de idade, sem penalizações.

A petição pública “A favor do justo tempo de serviço do sobrevivente oncológico” foi apresentada, no dia 31 de janeiro, aos deputados da Assembleia da República.

A autora da petição é Cristina Coelho da Silva, uma professora natural de Paredes, a quem foi diagnosticado um cancro do pulmão, em setembro de 2012.

A petição lançada há dois anos já tem mais de 27 mil assinaturas

Em junho de 2015 Cristina Coelho da Silva partilhou a sua história de luta com a nossa reportagem. Tinha concluído os tratamentos no Instituto Português de Oncologia do Porto e regressado ao trabalho, mas rapidamente percebeu que os tratamentos tinham deixado sequelas e afetado as suas capacidades.

Além das marcas psicológicas, as 9 sessões de quimioterapia e 37 de radioterapia afetaram, entre outros, a sua concentração, memória e capacidade de raciocínio.

 

Leia a notícia completa na edição em papel de 8 de fevereiro de 2018 ou subscreva a edição online.

Share This: