Só um milagre pode salvar o Nun’Álvares

Publicado em Publicado por: O Paredense

Texto escrito por Cristina Borges.

O Nun’Álvares perdeu na receção ao Freamunde por 2 – 0. A equipa de José Manuel ficou numa situação bastante complicada face à luta pela manutenção.

Num jogo com perspetivas bastantes diferentes, as equipas entraram em campo dispostas a lutar, cada uma, pelo seu objetivo. Se, por um lado, o Freamunde ainda mantém a esperança de chegar ao segundo lugar, posto que dá acesso à luta pela subida de divisão, do lado do Nun’Álvares era imperativo pontuar para não “ver fugir” a manutenção.

A jogar em casa, o Freamunde entrou mais forte e começou, praticamente, a vencer na partida. Aos cinco minutos, depois de uma má abordagem da defensiva recaredense, Brian ficou isolado frente a Postiga e não desperdiçou a hipótese de inaugurar o marcador. O Freamunde colocava-se assim em vantagem.

O golo madrugador dos “capões” viria a ser um duplo golpe nas aspirações dos visitantes, que viam a tarefa de pontuar ficar ainda mais complicada.

O Nun’Álvares procurava equilibrar e Tozé, à meia hora de jogo, teve nos pés uma boa oportunidade de fazer a igualdade, mas o remate saiu por cima da baliza de João Pinho.

O conjunto comandado por Jorge Nogueira mantinha o controlo do encontro e dispôs de alguns lances de perigo, mas a falha na finalização e as condições climatéricas não permitiram que os homens da casa ampliassem a vantagem até à ida para o intervalo.

No segundo tempo, as condições meteorológicas voltaram a agravar-se, o que condicionou a prática desportiva.

O Freamunde foi a equipa que esteve sempre mais perto de poder chegar ao golo, objetivo que alcançou, à passagem do minuto 75, depois do batimento de um pontapé de canto, em que a bola sobrou para Preto que, ao segundo poste, estabeleceu o resultado final em 2 – 0.

Apesar do equilíbrio dos recaredenses nos últimos 15 minutos da partida, o Nun’Álvares não conseguiu evitar a derrota, que deixa a equipa de José Manuel numa situação muito complicada, face à luta pela manutenção. Em caso de derrota ou empate na próxima jornada e, perante um resultado positivo do Vila Caiz, o Nun’Álvares fica, matematicamente, despromovido à Divisão de Honra. Atualmente, a equipa de Recarei soma 25 pontos e está no primeiro lugar de despromoção. O Vila Caiz está, imediatamente, acima com mais seis pontos.


José Manuel: “Enquanto, matematicamente, for possível, não vamos baixar os braços”

No final do jogo, José Manuel admitia a superioridade do adversário e a justiça do resultado, mas garante que a equipa não vai desistir de lutar pela manutenção enquanto, matematicamente, for possível: “O Freamunde esteve sempre por cima do jogo e criou-nos muitas dificuldades. Por isso, a vitória do adversário é justa. A 31ª jornada foi muito penalizadora para o Nun’Álvares, pois viu os seus adversários mais diretos aumentarem a diferença pontual. Ficamos numa situação complicada, mas, enquanto, matematicamente, for possível, não vamos baixar os braços.”

Share This: