Secretária de Estado assinou protocolo de colaboração para obras nas Eb. 2/3 de Lordelo e Rebordosa

Publicado em Publicado por: O Paredense

A secretária de estado adjunta da educação, Alexandra Leitão, assinou hoje, em Paredes, o acordo de colaboração para a realização de obras de reabilitação e modernização nas escolas básicas e secundárias de Lordelo e Rebordosa.

A cerimónia decorreu no salão nobre da autarquia e contou com a presença do executivo municipal e dos diretores dos agrupamentos de escolas.

A secretária de estado adjunta, Alexandra Leitão, garantiu que o investimento feito nestas escolas resulta de três esforços concertados: verbas comunitárias que existiam no FEDER Portugal 2020, mas que não eram suficientes e  por isso foi necessário majorá-las com um valor do Orçamento de Estado, cerca de um milhão de euros e um complemento do orçamento do município de Paredes, caso seja necessário algum acerto adicional.

“Não há nada como realizar despesa pública em escolas. É a melhor forma que temos de investir dinheiro público”

– Secretária de Estado adjunta da Educação, Alexandra Leitão

“É isto que é preciso para que o sistema educativo funcione, que haja uma conjugação de esforços entre a administração central, as autarquias e as escolas, que também têm de ter um papel ativo nestes processos”, sublinhou a governante, assumindo que a assinatura deste protocolo é o culminar de um processo marcado por algumas dificuldades, nomeadamente na obtenção de verbas e de autorizações necessárias para a concretização de despesa pública.

“Não há nada como realizar despesa pública em escolas. É a melhor forma que temos de investir dinheiro público, seja ele comunitário, estatal ou autárquico”, frisou.

O presidente de câmara de Paredes, Alexandre Almeida, mostrou-se satisfeito pela assinatura do protocolo que vai permitir concretizar obras de extrema importância. “Lamento que estas obras já não estejam feitas uma vez que os fundos comunitários já estavam à disposição da câmara desde 2016 e corríamos sérios riscos de os perder. É certo que o valor desses fundos não chegava, mas não podíamos continuar parados. Tínhamos de avançar com os projetos e encetar diálogo com o ministério para solicitar o reforço de verbas”, referiu o autarca, frisando que as obras eram reclamadas pelas comunidades escolares há vários anos.

No ano passado o Ministério da Educação fez obras no polivalente da escola de Rebordosa para corrigir problemas com infiltrações  e a autarquia assumiu os custos com a substituição do piso do pavilhão desportivo, “que punha em risco a integridade física das crianças”.

“As obras serão feitas muito em breve, com rigor e acompanhamento dos cadernos de encargos”,

– Alexandre Almeida, pres. câmara de Paredes

Neste protocolo estão contempladas outras intervenções de fundo, nomeadamente a substituição dos telhados e caixilharia, substituição de casas de banho e cozinhas, reconfiguração das salas de aulas, etc.

“As obras serão feitas muito em breve, com rigor e acompanhamento dos cadernos de encargos”, assumiu o autarca,  frisando que o concurso público para as obras em Rebordosa já foi adjudicado e em breve será adjudicado o de Lordelo.

Alexandre Almeida mencionou ainda o problema da sobrelotação dos dois estabelecimentos de ensino, onde há alunos a ter aulas dentro de contentores, e necessidade de intervir também nas Eb. 2/3 de Sobreira, de Paredes e de Cristelo, nas secundárias de Vilela e de Baltar, para substituir as coberturas em fibrocimento.

“À medida que as condições financeiras da câmara forem melhorando e contando com novos fundos comunitários e também com o apoio do governo pretendemos projetar também obras necessárias e urgentes nestas escolas. A educação é uma prioridade deste executivo”, frisou o autarca, assumindo que deposita nos jovens de Paredes a esperança de fazer crescer o tecido empresarial do concelho, com mão-de-obra cada vez mais qualificada.

Share This: