Rebordosa empata com o Valadares

Publicado em Publicado por: O Paredense

Texto escrito por Cristina Borges.

O Rebordosa recebeu o Valadares no segundo jogo do play-off de apuramento de subida ao Campeonato de Portugal. A equipa paredense ambicionava alcançar a primeira vitória nesta fase do campeonato, naquele que foi o primeiro de três jogos consecutivos em casa.

Os homens orientados por Tonanha entraram fortes e objetivos na partida e colocaram-se em vantagem, nos primeiros quinze minutos do encontro. Através do batimento de um pontapé de canto, Ítalo, de cabeça, colocou a bola num dos ângulos da baliza de Fábio Carvalho. Mas, a vantagem dos rebordosenses não durou muito, dois minutos depois, o Valadares conseguiu chegar ao empate. O golo dos gaienses parecia uma cópia da jogada protagonizada pelos da casa. Do lado do Valadares foi Fábio Gonçalves a faturar.

Com o marcador empatado, ambas as equipas foram à procura do golo, criando várias oportunidades para concretizar.

Antes do intervalo, o Valadares podia ter-se posto em vantagem mas desperdiçou a oportunidade.

Na segunda parte, assistiu-se a um verdadeiro equilíbrio na prática futebolística, que só perdeu intensidade a partir dos sessenta minutos. O Rebordosa ficou reduzido a dez devido à expulsão de Ítalo e perdeu “poder” ofensivo. Ainda assim, a equipa de Tonanha conseguiu responder bem, apesar da desvantagem, mas nenhum dos conjuntos conseguiu anular o empate até ao fim do encontro.

As equipas anularam-se mutuamente e, já no período de compensação, o Rebordosa protagonizou a melhor oportunidade da partida para vencer o jogo, mas não conseguiu concretizar.

Com este resultado, o Rebordosa ocupa o terceiro lugar do grupo, com um ponto. O Valadares é segundo, com mais três.


Tonanha: “Play-off está competitivo, mas ferido de alguma credibilidade”

No final da partida, Tonanha concordava com a justiça do resultado: “Foi um bom jogo, entre duas boas equipas, não houve grandes oportunidades de golo, dado o equilíbrio que aconteceu, ao longo de todo o encontro. Na 2ª parte, depois da expulsão, sentimos mais dificuldade mas acabamos por nos agrupar ainda mais e conseguimos um resultado precioso, que, no meu entender, se ajusta aquilo que se passou no campo.” O técnico acrescentou ainda: “O Valadares, para além da equipa que tem, tinha o conforto de vir de uma vitória que lhes dava uma estabilidade emocional e tranquilidade. Nós estávamos um bocadinho mais intranquilos, mas no geral, acabamos por dar uma boa resposta e aceitável.”

Sobre a competitividade deste play-off, Tonanha assumia: “Nesta altura, as equipas são muito equilibradas e há um conhecimento profundo dos adversários. Por isso, notou-se perfeitamente que as equipas se anularam mutuamente.” Além da competitividade, o técnico do Rebordosa lamenta: “Está competitivo, mas também está ferido de alguma credibilidade. Quando partimos para uma prova em que sabemos que o primeiro lugar está praticamente definido e somos o primeiro clube a jogar contra essa equipa, obviamente, que depois temos de “andar atrás do prejuízo.” É isso que está a acontecer connosco. Mas ainda acreditamos. Vamos tentar vencer os jogos em casas e dar uma boa resposta em Valadares e Santo Tirso para chegar ao segundo lugar que, neste momento, é o objetivo.”

Sobre as armas para ultrapassar, Tonanha defende que a equipa deve “ser igual a si própria e ter alguma sorte, que não nos tem acompanhado. Vão ser jogos decididos em pormenores.”

Share This: