PSD acusa câmara de “esconder” legionella nos centros escolares

Publicado em Publicado por: O Paredense
Foto: Arquivo.

O PSD Paredes veio criticar a atitude da câmara de Paredes quanto à bactéria da legionella encontrada nos circuitos de águas quentes dos refeitórios e cantina dos centros escolares de Recarei e Mouriz.

Num comunicado enviado à comunicação social, a comissão Política do PSD Paredes, liderada por Ricardo Sousa, acusa a autarquia de “esconder o sol com a peneira”, numa situação que diz estar a preocupar os pais dos alunos que frequentam os estabelecimentos de ensino.

A bomba de água no centro escolar de Mouriz, por exemplo, esteve avariada mais de três meses. Qual a razão que levou Alexandre Almeida não ter efetuado análises à água, antes da escola funcionar? Quantos dias as crianças estiveram em contacto com a água contaminada?”, interroga Ricardo Sousa, defendendo que, nesta fase da pandemia, a situação deixa as crianças mais expostas ao vírus por “estarem impedidas de realizar a higienização das mãos de forma exigida pela DGS”.

Os sociais-democratas recordam ainda que este ano a bactéria também já tinha sido detetada nas piscinas e ginásio Rota dos Móveis, em Recarei, e no ano passado na escola secundária de Paredes.

Na altura, o PSD diz ter questionado o presidente da câmara se a população podia usufruir dos equipamentos desportivos, bem como das instalações escolares sem correrem os riscos inerentes à exposição desta bactéria, mas não teve resposta.

Agora percebemos porquê. Alexandre Almeida tenta sempre ‘esconder o sol com uma peneira’, mas os resultados, infelizmente estão à vista de todos”, defende Ricardo Sousa, questionando: “Que garantias têm os pais sobre a inexistência de Legionella nas outras escolas? Porque não é cumprida Lei nº 52/2018, de 20 de agosto, que estabelece o regime de prevenção e controlo da Doença dos Legionários?

Share This: