Polémica na Assembleia Municipal. Presidente da junta de Louredo e líder da bancada do PSD trocam acusações

Publicado em Publicado por: O Paredense

O presidente da junta de Louredo, José Borges, eleito pelo PSD, e o líder da bancada do PSD na Assembleia Municipal, Alberto Soares Carneiro, envolveram-se numa troca de palavras na sessão ordinária realizada no último sábado, 27 junho, no Centro Escolar de Paredes.

O autarca de Louredo inscreveu-se para falar no período antes da ordem do dia, mas o líder da bancada do PSD, Soares Carneiro, defendeu que o tempo gasto pelo autarca não devia ser descontado aos sociais-democratas, uma vez que a sua intervenção não tinha ficado estabelecida na reunião preparatória do partido.   

José Borges não gostou e acusou o líder da bancada do PSD de o tentar impedir de falar.

“Estou estupefacto e acho que a intervenção do Soares Carneiro vem sustentar a minha preocupação em me inscrever. Há uma tentativa do PSD para me fazer calar, mas queria deixar bem claro nesta assembleia que podem usar esses métodos, mas a mim ninguém me cala. Se o PSD entender que é viável estou disponível para que me seja atribuído um tempo extraordinário para usar da palavra e defender os interesses a freguesia. Foi para isso que fui eleito e é para isso que vou continuar a trabalhar”, disse José Borges.

Em seguida, o presidente da Assembleia Municipal realçou que que se não foi feito nenhum pedido de exclusão o presidente da junta de Louredo continua a ser membro da bancada do PSD.

“O que me está a pedir é que o tempo de intervenção não seja descontado no grupo parlamentar do PSD. Eu tenho algumas dúvidas. Não vejo isso no regulamento. Acho que vocês deviam resolver o problema internamente. Eu não posso retirar a palavra a um membro eleito da assembleia”, justificou.

José Borges acabou por conseguir falar, mas em último lugar e porque sobrou tempo ao PSD.

Depois de consultar os líderes das quatro bancadas parlamentares (PS, PSD, CDU e CDS) Batista Pereira explicou que o regimento da Assembleia Municipal permite aos líderes das bancadas o agendamento prévio das intervenções no período antes da ordem do dia.

“Realmente o senhor Borges não constava dessa lista. Nós, na altura, não nos apercebemos, mas vamos incluí-lo na mesma em último lugar e esperemos que tenha a possibilidade de dizer alguma coisa”, manifestou.

Mais tarde, o líder da bancada do PSD veio acusar o autarca de Louredo de já ter sido convidado para integrar as listas do PS nas próximas eleições autárquicas.

“O presidente da Junta de Louredo sabe que é nas reuniões prévias à Assembleia Municipal se combina quem vai falar e sobre o quê. Vou fazer aqui mais uma adivinha e dizer publicamente que o Sr. Borges já foi convidado pelo PS para ser candidato à Junta de Freguesia de Louredo. Portanto, vamos ver se o tempo me vai dar razão”, sustentou.

Em resposta, José Borges garantiu que não foi convocado para a reunião prévia do partido e negou qualquer compromisso com o PS.

“Já é habitual tentarem calar-me. Não estou aqui ao serviço dos interesses do PSD, mas para defender os interesses da freguesia de Louredo. E é isso que vou fazer até ao fim deste mandato, quer o PSD goste ou não.

Não tenho compromissos com partido nenhum e ainda não decidi se vou ser candidato nas próximas eleições. Mais não sou eu que ando a arranjar candidatos pelo PSD em Louredo e não sou eu que estou a tentar criar instabilidade no funcionamento das instituições políticas na freguesia de Louredo, nomeadamente na Assembleia de Freguesia. “Louredo foi, é será sempre uma terra reconhecida a quem nos faz bem e este executivo municipal está a fazer bem à freguesia de Louredo e terá até ao fim o meu reconhecimento”, acrescentou o autarca.

Share This: