Paredes e a Primeira República: As «Novas Instituições»: Regedores

Publicado em Publicado por: O Paredense
Bráulio Soares, o primeiro regedor republicano de Vilela, ao lado da sua esposa – Foto: Adão C. Ribeiro, 2010

Bráulio Soares, o primeiro regedor republicano de Vilela, ao lado da sua esposa – Foto: Adão C. Ribeiro, 2010

«O regedor era, resumidamente, o delegado do administrador do concelho nas freguesias, acumulando funções de fiscalização administrativa e policial. Se o administrador do concelho tinha por inerência de funções, mas não só – também no plano ideológico e político –, uma importância fulcral na implantação e efectivação do novo regime, não menor importância terá tido o regedor no âmbito mais local, junto da sua paróquia ou freguesia.»

 

Após a Implantação da República, foram também nomeados novos regedores (efectivos e substitutos) para cada uma das freguesias do concelho de Paredes.

Tendo o novo regime adoptado o código administrativo de 1878 – quando estava já em vigor o de 1896 –, as determinações legais que estabeleciam as incumbências do regedor eram, assim, as estipuladas nos artigos 221 a 230.

O regedor era, resumidamente, o delegado do administrador do concelho nas freguesias. Se o administrador do concelho tinha por inerência de funções, mas não só – também no plano ideológico e político –, uma importância fulcral na implantação e efectivação do novo regime, não menor importância terá tido o regedor no âmbito mais local, junto da sua paróquia ou freguesia.

Texto escrito por Ivo Rafael Silva

 

Leia o artigo completo na edição em papel de 8 de fevereiro de 2018 ou subscreva a edição online.

Share This: