Paredes e a Primeira República: A Contramanifestação Monárquica de Rebordosa

Publicado em Publicado por: O Paredense

«À noite, junto da casa do sr. ex-visconde, onde jantaram os convidados e os promotores da manifestação, como ali houvesse vivas à República e a diversos objectivos anexos, ouviram-se na rua vivas clamorosos à Monarquia, ao Rei, à Família Real. Consta que o sr. administrador entrou na freguesia por entre vivas à Monarquia.»

No dia 20 de Novembro de 1910, um domingo, toma posse a Comissão Administrativa Paroquial de Rebordosa. Tal acontece, assim, quinze dias decorridos desde a proposta da sua composição feita pelo administrador do concelho, António Augusto Gonçalves de Carvalho, ao governador civil do Porto, Paulo Falcão.

A entrada em funções do primeiro executivo republicano da história da localidade é assinalada com toda a pompa e circunstância. Música e foguetes conferem som e animação aos actos solenes.

Texto escrito por Ivo Rafael Silva

Leia o artigo completo na edição em papel de 5 de abril de 2018 ou subscreva a edição online.

Share This: