Obras de 5,1 milhões de euros vão pôr fim à poluição do Rio Ferreira

Publicado em Publicado por: O Paredense
Autarcas de Paços de Ferreira e Paredes acreditam que a obra vai acabar definitivamente com as descargas poluentes no Rio Ferreira.

Autarcas de Paços de Ferreira e Paredes acreditam que a obra vai acabar definitivamente com as descargas poluentes no Rio Ferreira.

A ampliação e reabilitação da Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR) de Arreigada foi adjudicada na passada terça-feira, um dia histórico para os concelhos de Paços de Ferreira e Paredes porque assinala “o princípio do fim da poluição no Rio Ferreira”.

Contrato de consignação foi assinado na terça-feira pelo município e a empresa MRC Construction S. A.

Contrato de consignação foi assinado na terça-feira pelo município e a empresa MRC Construction S. A.

“Hoje estamos a assinar o ato de consignação com a empresa que vai proceder à reabilitação desta ETAR depois de 29 anos em que o município, em sucessivos governos do PSD, não olhou para este problema e não respeitou as pessoas de Paredes, nomeadamente as de Lordelo”, afirmou o autarca de Paços de Ferreira, Humberto Brito, durante a cerimónia de assinatura do contrato.

Esta obra na ETAR de Arreigada está orçada em 5,1 milhões de euros e tem comparticipação comunitária de cerca de 80%, através do Programa Operacional de Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos (POSEUR).

A intervenção deverá estar concluída em 2020 e vai duplicar a capacidade de tratamento da estação, que até agora conseguia tratar cerca de 5.800 metros cúbicos de efluentes por dia e passará para um volume médio de 10.000 m3/dia.

As obras implicam um investimento de 1,2 do município de Paços de Ferreira

As obras implicam um investimento de 1,2 milhões de euros do município de Paços de Ferreira

Ao longo de mais de 20 anos foram vários os alertas da população e de autarcas para as sucessivas descargas no Rio Ferreira provenientes da ETAR de Arreigada, que foi construída em 1993 e funciona muito acima da sua capacidade, servindo mais do dobro dos habitantes para os quais foi projetada.

O presidente da câmara de Paredes também se deslocou a Paços de Ferreira para assistir ao ato de consignação da obra. Mais tarde, e já no parque do Rio Ferreira, em Lordelo, Alexandre Almeida sublinhou a importância deste dia para o concelho de Paredes e agradeceu o esforço financeiro da câmara de Paços de Ferreira para resolver um problema que todos os outros executivos empurraram com a barriga para a frente.

Este é o início do fim deste problema. Mas há outros investimentos que estamos a ponderar para precaver problemas no futuro” adiantou Alexandre Almeida, referindo-se a projetos em estudo para a despoluição do Rio Ferreira e a melhoria do Parque Urbano que abrange as freguesias de Lordelo e Rebordosa.

Segundo o vice-presidente da autarquia e vereador do ambiente, Francisco Leal, um dos planos é a reestruturação de um emissário que vem de Duas Igrejas até à ETAR de Campo, em Valongo, que vai ser realizado pela SIM Douro e implica um investimento de um milhão de euros. Por outro lado, a câmara de Paredes pretende avançar com um projeto para aumentar a extensão do emissário que sai da ETAR de Arreigada, de forma a retirar definitivamente as águas residuais deste parque.

 

Leia a notícia completa na edição em papel de 12 de julho de 2018 ou subscreva a edição online.

Share This: