Entrevista | O menino de Recarei que chegou à Primeira Liga de Futebol

Publicado em Publicado por: O Paredense

 

Texto de Cristina Borges.

Chama-se Ricardo Jorge da Silva Nogueira Rodrigues, mas é Rodrigues o nome que enverga na camisola. Foi, esta época, Campeão da Liga sub23 e vencedor da Taça Revelação. Com apenas 23 anos, Ricardo Rodrigues é já um dos nomes mais falados da nova geração de jogadores. O avançado, natural de Terronhas (Recarei), contou ao O Paredense o que sentiu ao estrear-se na Primeira Liga e quais os planos para o futuro.

 O percurso

Como e porquê começou a jogar futebol?

Tudo começou numa brincadeira entre amigos, íamos todos para o parque do apeadeiro de Terronhas e jogávamos uns contra os outros. Na altura, até marcávamos jogos entre os diferentes lugares da freguesia (Terronhas de cima contra Terronhas de baixo). Havia uma rivalidade muito grande. A certa altura, encontrámos uma “espécie de campo de futebol” no meio do monte e lhe demos o nome de “campo dos búfalos”. Começámos a jogar lá e tive uma infância boa com momentos muito bons onde ainda tenho muitos amigos. Recordo esses tempos com muita saudade!

Quando e como percebeu que queria ser jogador profissional de futebol?

Percebi a partir do momento em que comecei a jogar no Nun’Álvares. Toda a gente dizia que tinha potencial e que podia chegar longe. Diziam-me que tinha “faro de golo”, comecei a ouvir aquelas palavras e decidi que queria ser jogador profissional.

Como tem sido o seu percurso no futebol?

Tem sido bom, quando passei no A.D Oliveirense foi um pouco atribulado, mas depois o Brito, o Aves B, o Canelas e o Mafra foram passagens boas, onde encontrei bons grupos e onde me receberam muito bem.

 

Leia a entrevista completa na edição em papel de 30 de maio de 2019 ou subscreva a edição online.

Share This: