Nun’Álvares sai vencedor do dérbi paredense

Publicado em Publicado por: O Paredense

Texto escrito por Cristina Borges.

O Aliança de Gandra perdeu na receção ao Nun’Álvares por 1 – 4. O dérbi entre duas das equipas do concelho de Paredes realizou-se na 27ª jornada da Divisão de Elite.

Previa-se um jogo emotivo entre duas equipas vizinhas e na luta por objetivos diferentes na Divisão de Elite. Se, ao Aliança de Gandra o resultado pouca diferença fazia na classificação, ao Nun’Álvares só a vitória interessava para manter viva a esperança da manutenção.

A equipa da casa entrou mais forte e valeu a intervenção de Martins, o guarda-redes ainda do escalão de juniores que tem sido o guardião da equipa recaredense nos últimos jogos, a evitar que o Gandra chegasse à vantagem no marcador.

A falha nos momentos de finalizar do conjunto da casa deu novo fôlego ao Nun’Álvares que tomou conta do jogo a partir dos 25 minutos. O conjunto de José Manuel mostrava empenho em chegar à vantagem primeiro e conseguiu mesmo o objetivo à passagem do minuto 38, com um golo de Tiago Graça.

Os visitantes foram assim a vencer para o intervalo.

Na segunda parte, os pupilos de Mário Rocha voltaram a entrar por cima, mas sem conseguirem, novamente, encontrar o caminho da baliza.

Lá diz o ditado “quem não marca sofre” e foi isso que aconteceu ao Aliança de Gandra. Depois de falhar a finalização nas oportunidades criadas, a equipa da casa viu o Nun’Álvares voltar a marcar. João Teixeira fez um belo golo através de um pontapé livre direto.

A equipa gandarense acusava desconcentração e, talvez por isso, voltou a sofrer cinco minutos depois, novamente, de bola parada, desta vez, por intermédio de Paiva.

O Gandra ainda conseguiu reduzir com o golo de Marcelo, mas nada pôde fazer para evitar o quarto do conjunto visitante. Aos 85 minutos, Xivina fixou o resultado final em 1 – 4.

Com a vitória, o Nun’Álvares reduziu a distância para os adversários diretos, uma vez que estes perderam pontos. A equipa de José Manuel está agora a três pontos do Vila Caiz, clube imediatamente, acima na classificação. Já, o Aliança de Gandra desceu à 12ª posição e mantém os mesmos 32 pontos.


Mário Rocha: “Foi o reflexo da queda que a equipa tem vindo a sofrer”

No final do jogo, Mário Rocha manifestou o seu desagrado para com a prestação do seu grupo: “Entrámos bem na partida e dominámos durante os primeiros 20 minutos. Sofremos um golo contra a corrente do jogo. Depois do golo a equipa não conseguiu encontrar-se e tivemos algumas dificuldades até ao intervalo. Voltámos a começar melhor na 2ª parte, mas não conseguimos concretizar as oportunidades que criámos. O adversário foi muito eficaz e marcou dois golos de bola parada, o que deixou a minha equipa ainda mais tranquila.

O técnico gandarense parabenizou o adversário e admitiu a má exibição da sua equipa: “Foi uma exibição menos conseguida. Os últimos resultados não têm sido os melhores e, hoje, foi o reflexo da queda que a equipa tem vindo a sofrer nos últimos encontros. Sentimos muito os golos do adversário e ficamos ainda mais intranquilos e desconcentrados. No aspeto psicológico tenho muito trabalho a fazer para levantar a equipa, mas o adversário acabou por ser um justo vencedor e está de parabéns.”

 

José Manuel: “Esta vitória encaixa como uma luva”

Do outro lado, José Manuel estava visivelmente satisfeito com a exibição da equipa: “Era um jogo que nós acreditávamos que podíamos vencer. Tínhamos noção do grau de dificuldade, mas a equipa fez uma excelente partida e esteve sempre com um nível de tranquilidade adequado. Tivemos lances, em que só com muita concentração, se podem decidir da forma como foram decididos. Fomos uma equipa atrevida e obrigámos o Gandra a errar. A qualidade individual de alguns jogadores permitiu fazer golos bonitos e vamos continuar a trabalhar para a equipar continuar a acreditar que pode e tem condições de marcar.

Um encontro que o técnico recaredense garante “não era um jogo decisivo”, no entanto, assume “para nós todos os pontos fazem falta e esta vitória vem encaixar como uma luva, porque faz-nos acreditar que começamos a depender um bocadinho mais de nós, visto que, ainda temos confrontos com os adversários diretos.”

José Manuel aponta melhorias no plantel que orienta e assegura: “Nós tivemos resultados que não foram coincidentes com as exibições. A equipa tem vindo a recuperar frescura e, hoje, é uma equipa diferente, que luta por discutir os três pontos em todos os jogos. Melhorámos alguns aspetos, nomeadamente, no índice físico, porque quando não se está bem fisicamente, não se consegue estar bem psicologicamente. Tivemos de fazer com que eles acreditassem que têm qualidade.

Share This: