Número de internados com Covid-19 no CHTS baixou de 235 para menos de 190

Publicado em Publicado por: O Paredense

O número de doentes internados com Covid-19 no Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa (CHTS) baixou hoje para menos de 190, depois de ter atingido o pico máximo de 235 nos últimos dias.

A informação foi avançada ao final da tarde desta quinta-feira pelo Conselho de Administração do CHTS.

“Depois do pico máximo de doentes internados, chegou a atingir os 235, hoje o número é já inferior a 190 e prevê-se que continue a diminuir nos próximos dias, a menos que surja mais alguma situação inesperada de infeção concentrada de grandes dimensões na comunidade e a qual não conseguimos antecipar”.

Em comunicado, o Conselho de Administração liderado por Carlos Alberto reconhece que “apesar de continuar a ter o maior número de doentes internados por Covid-19 do país, estão a ser implementadas medidas com o objetivo de ajudar a melhor significativa a situação nos próximos dias”.

 Além da “forte colaboração regional” para transferir doentes para outros hospitais do Serviço Nacional de Saúde (SNS) da região, nomeadamente para o Hospital Militar, a instalação do hospital de campanha do Instituto de Emergência Médica (INEM) “permitiu agilizar melhor circuitos dentro da urgência numa fase crítica que chegou a atingir 800 atendimentos diários, números superiores aos atingidos nos picos da gripe”.

Entre as medidas adotadas e a implementar está também a estrutura exterior de apoio à urgência, que entrará em funcionamento este fim-de-semana, permitindo “auxiliar permanentemente o já habitual grande movimento na segunda maior urgência do Norte do país”.

Está ainda ser instalado à entrada do hospital (num terreno cedido pela câmara de Penafiel) um drive-thru para a realização de testes à Covid-19, que permitirá prestar um serviço adicional à população e ao mesmo tempo reduzir de “modo significativo” o “afluxo inapropriado aos serviços de urgência”.

O Conselho de Administração sublinha ainda que ao longo destes meses mais de uma centena de profissionais do CHTS esteve ausente, seja por infeção ou por isolamento profilático decorrente de diversas situações de contacto familiar ou outro e embora tenham sido contratados já mais de 150 outros profissionais de diversos grupos, as equipas devem continuar a ser reforçadas nos próximos tempos.

Na mesma nota, o CHTS diz estar “ciente do empenho, dedicação e profissionalismo dos seus colaboradores num momento sem igual na história da instituição” e garante que tudo tem feito e continuará a fazer, para que seja possível dar resposta à população, num pico de uma pandemia que não é uma situação normal.

“O País, a região e o mundo vivem momentos de grande complexidade na gestão desta pandemia, mas tudo faremos para salvaguardar os cuidados de saúde à população, bem como dotar os profissionais de todos os meios para se combater um cenário que é de grande pressão, fruto de uma pandemia que atinge toda a humanidade”, acrescenta.

Share This: