Morreu Joaquim Alves Faria, fundador da Nortecoope e sócio de mérito do União de Paredes

Publicado em Publicado por: O Paredense

Joaquim Alves Faria, fundador da Nortecoope – Cooperativa de Habitação Económica, C.R.L., e sócio de mérito do União Sport Cube de Paredes morreu esta sexta-feira, aos 88 anos.

A câmara municipal de Paredes já lamentou a perda de um “ilustre representante dos valores da atividade cívica e política do concelho de Paredes” e endereçou condolências à família do empresário.

Numa nota publicada na página de facebook, o presidente do União de Paredes assumiu que a notícia do falecimento trouxe um “pesado luto a todo o universo unionista” e lembrou “o Homem raro, que tudo fazia para ajudar, sem pedir nada em troca, discreto com a humildade que se lhe reconhecia sem pretender ser alvo dos holofotes”.

“Estamos todos mais pobres, mas por entre a perda há algo que fica, e que ficará sempre na memória de todos aqueles que, no União Sport Clube de Paredes, na cidade e no concelho permanecerá para sempre, como testamento de vida depois da partida, o legado do exemplo de um homem bom”, acrescentou António Pedro Silva, garantindo que o clube tudo fará para que a sua obra jamais seja esquecida.

Joaquim Alves Faria nasceu, em Paredes, em 1932, criou a Cooperativa de Habitação Nortecoope, que deu origem ao aparecimento de outras cooperativas em diversos concelhos, responsáveis por construir milhares de habitações com custos controlados, nomeadamente em Paredes.

Construiu também diversos equipamentos sociais, como jardins de infância, que ainda hoje se mantêm em funcionamento, e deu um novo impulso a uma empresa gráfica, a Litocartão – Cantão Canelado, LDA, que existia na Maia, levando à sua deslocalização para a Zona Industrial de Baltar/Parada.

Em 1997 decidiu criar a Fundação Nortecoope com o objetivo de apoiar áreas que estivessem ligadas ao apoio social e desportivo. Ajudou à criação de diversas equipas de hóquei em patins, na Maia, e apoiou o clube onde “nasceu”, o União de Paredes, ajudando-o a atravessar varias crises financeiras. A mais conhecida é a compra em hasta pública do Estádio das Laranjeiras, em 1997.

Em 2019 foi agraciado pela autarquia com a Medalha de Ouro do Município, “pelo mérito de contribuir para o lançamento do cooperativismo habitacional e equipamentos de solidariedade social e de honrar a cidadania ativa que faz dele ilustre representante dos valores da atividade cívica e política do Concelho de Paredes”.

Recorde a entrevista do empresário em fevereiro de 2019, quando foi homenageado pelo Rotary Club de Paredes.

(Clique na foto para ler melhor)

Share This: