Médicos absolvidos no caso da jovem de Recarei que morreu com tumor cerebral

Publicado em Publicado por: O Paredense

Os quatro médicos do Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa (CHTS) que estavam acusados por crimes de violação da “legis artis” no caso da jovem de Recarei que morreu em 2013 com um tumor cerebral não diagnosticado foram hoje absolvidos pelo Tribunal de Penafiel.

Apesar de admitir que houve um “erro de diagnóstico” e que os médicos deviam ter pedido exames complementares, o tribunal entendeu que estes agiram de acordo com a informação que tinham, fornecida pela paciente e pelos sintomas que apresentava e pelos relatórios dos episódios de urgência da jovem no CHTS, não tendo agido de forma dolosa, nem com intenção de provocar a morte da jovem.

Entre 2010 e 2013, Sara Moreira esteve 11 vezes no serviço de urgência do CHTS, queixando-se de dores de cabeça, vómitos e perdas de consciência.  Nenhum dos médicos que a atendeu diagnosticou o tumor cerebral.

A jovem acabou por morrer a 10 de janeiro de 2013, com 19 anos.

Share This: