Luís Barroso: “Todo o emigrante espera um dia regressar ao seu país”

Publicado em Publicado por: O Paredense
De Basileia, Luís aprecia sobretudo a organização da cidade e o civismo das pessoas

De Basileia, Luís aprecia sobretudo a organização da cidade e o civismo das pessoas

Luís Barroso tem 31 anos e vive há 3 na Suíça, mais concretamente na cidade de Basileia, a terceira maior cidade do país com cerca de 195 mil habitantes. No seu país, Luís Barroso ganhava pouco mais que o ordenado mínimo, o que não permitia sonhar com uma vida melhor. Partiu de Portugal em julho de 2014 e conseguiu trabalho através de um cunhado que está na Suíça há 5 anos.

Atualmente o jovem de Duas Igrejas vive com o cunhado e um amigo, também ele paredense. Trabalha numa empresa ligada ao setor da construção civil e mostra-se satisfeito com a mudança que conseguiu na sua vida. “Foi para este trabalho que vim, não foi o que eu escolhi. Foi difícil para mim a mudança de hora, no próprio trabalho sentia uma pressão enorme, mas tive de me adaptar”, refere o jovem, recordando as dificuldades que sentiu para realizar tarefas básicas do dia-a-dia.

“Quando estás num país diferente onde se fala uma língua bem difícil, uma tarefa tão simples como ir ao supermercado ou pedir alguma coisa num bar pode ser muito difícil. A realidade na Suíça é muito diferente”, sublinha.

 

Leia a notícia completa na edição em papel de 30 de novembro de 2017 ou subscreva a edição online.

Share This: