Legislativas 2019: PS vence em Paredes, na região e no distrito

Publicado em Publicado por: O Paredense
DR

DR

À semelhança do que aconteceu no país e na região o Partido Socialista venceu a noite eleitoral de domingo, 6 outubro, em Paredes, com 36,98% dos votos (16.469). Em 2.º lugar ficou o PSD, com 35,39% (15.763 votos).

A terceira força política mais votada no concelho foi o Bloco de Esquerda, com 6,35% (2828 votos), seguindo-se o CDS-PP, com 4,57% (2035 votos) e o PCP-PEV, com 2,90% (1292 votos).

A abstenção foi de 39,57%, ainda assim inferior à registada a nível nacional (45,50%).

O PS venceu em nove das 18 freguesias do concelho, Aguiar de Sousa, Baltar, Beire, Cete, Gandra, Parada de Todeia, Recarei, Sobreira e Vandoma e nas restantes, Astromil, Cristelo, Duas Igrejas, Lordelo, Louredo, Paredes, Rebordosa, Sobrosa e Vilela, venceu o PSD.

Os socialistas venceram também no distrito do Porto e na região do Vale do Sousa, à exceção de Paços de Ferreira, onde venceu o PSD com 38,37% dos votos.

Em Lousada o PS venceu com mais de 42% dos votos, assim como em Felgueiras (41,38%) e Castelo de Paiva (41,86%). Em Penafiel os socialistas venceram com 38,84% e em Valongo com 38,59% dos votos.

Iniciativa Liberal, Livre e Chega elegem deputados

A nível nacional o PS venceu as eleições legislativas com 36,55% dos votos (1.866,407), conquistando mais 124,395 votos que em 2015.

Os socialistas elegeram 106 deputados, mas ficaram ainda obrigados a negociar uma solução política com os partidos da esquerda para garantir maioria na Assembleia da República.

O PSD arrecadou 27,90% dos votos, (1.420,553) e elegeu 71 deputados. Em 3.º lugar ficou o Bloco de Esquerda, com 9,67% e 19 deputados, seguindo-se a CDU, com 6,46% dos votos e 12 deputados e o CDS-PP, com 4,25% dos votos e apenas cinco deputados.

Um dos grandes vencedores da noite eleitoral foi o partido Pessoas, Animais e Natureza (PAN) com 3,28%, que elegeu 4 deputados, mais três do que tinha em 2015.

Na noite eleitoral destacaram-se ainda o Iniciativa Liberal, o Livre e o Chega, que conseguiram eleger um deputado cada.

Por atribuir estão ainda os quatro mandatos do círculo da emigração.

Share This: