Bactéria da Legionella nas piscinas de Recarei tem “reduzida expressão” e “não representa perigo para a população”

Publicado em Publicado por: O Paredense

A bactéria da legionella detetada numas análises de controlo às piscinas de Recarei tem uma “expressão muito reduzida” e “não representa grande perigo para a população”.

A garantia foi deixada pelo vereador do Desporto e da Saúde da câmara de Paredes, na reunião do executivo realizada ontem, 9 de julho.

A autarquia já tinha confirmado na quarta-feira que o equipamento tinha sido encerrado, depois de o PSD Paredes ter abordado o tema numa nota enviada à comunicação social.

Na reunião de câmara, o vereador do Desporto e da Saúde explicou que existe um protocolo para fazer análises de controlo com regularidade nas piscinas e também nos centros escolares.  “Temos um sistema automático que é ligado por volta das duas da manhã e que eleva a água a 70 graus e faz o tratamento, com choque químico nos circuitos hidráulicos”, sublinhou.

No caso de Recarei, e tal como manda a Lei, a autarquia realizou um conjunto de análises e procedimentos antes de reabrir as piscinas. Nas análises foi detetada a presença da bactéria, mas com reduzida expressão, garantiu.

“Estamos a falar de nove unidades formadas de colónicas por litro de água. O grave é quando aparecem mil. O ano passado em abril numa escola de Paredes apareceram 100 unidades num dos balneários e 63 noutro e fecharam apenas o pavilhão desportivo da escola. Nós optamos por fechar as instalações todas, mesmo não tendo necessidade de o fazer. Podíamos ter continuado com o ginásio aberto, mas tendo em conta o estado epidemiológico do país decidimos fechar tudo. Foram realizados os choques químicos nos circuitos hidráulicos como prevê a legislação e outras ações complementares e estamos agora a proceder à verificação de todos os circuitos”, explicou o vereador, assumindo que as decisões foram sempre articuladas com a Delegada de Saúde.

O vereador sublinhou ainda que no passado as análises à legionella eram feitas apenas nas piscinas e que o atual executivo quis alargar o procedimento a todas as escolas e centros escolares. “A nossa preocupação com a saúde não é de agora e graças a estas análises que são feitas estes problemas são detetados numa fase muito precoce e segundo a Direção-Geral de Saúde tem uma reduzida expressão e, por isso, o perigo para a saúde é mínimo”, destacou, assegurando que são cumpridos todos os procedimentos estabelecidos pela DGS, que é quem tem a competência de comunicar estas situações.

Paulo Silva disse não compreender o alarme social que foi criado em torno desta situação e acabou o PSD de tentar denegrir a imagem da câmara municipal.

“Quem lê o comunicado percebe que os atuais dirigentes do PSD desconhecem as instituições e a realidade do concelho. Falam lá num delegado de Saúde quando em Paredes nós temos uma delegada de saúde. Percebe-se que quem escreve os comunicados não é de cá”, criticou.

Share This: