Fazer reservas, usar máscara e garantir distância de dois metros. É assim que a restauração volta a abrir a 18 de maio.

Publicado em Publicado por: O Paredense
Restaurante D’Avental, em Lordelo

Os estabelecimentos de restauração, cafés e pastelarias, vão poder voltar ao ativo já na próxima segunda-feira, mas com regras apertadas. Clientes sentados com distância de dois metros entre si, desinfeção de mãos à entrada e saída, agendamento prévio para reserva de lugares e funcionários com máscaras durante todo o período de trabalho são algumas das regras determinadas pela Direção-Geral de Saúde (DGS).

Gabriel Silva e Susana Sousa, proprietários do restaurante D’Avental, em Lordelo, preparam a reabertura do espaço “com todas as regras de segurança”. “Abrimos no início do mês com o serviço de take-away, ao almoço e ao jantar, para tentar amenizar os prejuízos. Mas a partir do dia 18 vamos reabrir o restaurante, acreditando que as coisas possam vir a normalizar”, sublinha Gabriel Silva.

A capacidade de lotação da sala será reduzida em cerca de 50% (para 40 lugares), mas o empresário acredita que não fará muita diferença estabelecer limites nesta fase porque “os restaurantes não vão encher tão cedo”.

Gabriel Silva diz-se motivado para adotar novas estratégias e tentar recuperar a confiança dos clientes. Um dos objetivos é criar um serviço de entregas ao domicílio.

Mais apreensivo quanto ao futuro está Gualter Rocha, proprietário do restaurante Irregular, em Recarei, que abriu portas em novembro de 2018, com um conceito de jantares privados.

“O sector vai ter de se adaptar a uma nova realidade”, defende o empresário, admitindo que além da “quebra do poder de compra, os custos vão aumentar com as novas regras de higiene e segurança”. “Os clientes vão ser menos forçosamente e os custos vão aumentar. Neste cenário, nenhum restaurante é viável tendo metade da lotação”.

Leia a reportagem completa na edição digital de 14 de maio de 2020 que pode aceder gratuitamente aqui.

Share This: