Família reclama pagamento de indemnização de 60 mil euros à junta de Lordelo

Publicado em Publicado por: O Paredense
A viúva Ana Silva e a filha mais velha Daniela Ferreira

A viúva Ana Silva e a filha mais velha Daniela Ferreira

A família de Daniel Silva, de 48 anos, que faleceu a 14 de maio de 2014 num deslizamento de terras quando estava a trabalhar no cemitério de Lordelo, queixa-se que a junta de freguesia de Lordelo já recebeu 60 mil euros da câmara de Paredes para pagar a indemnização pela morte do seu familiar, mas que só transferiu para a sua conta cerca de 10 mil euros.

A vítima Daniel Silva

A vítima Daniel Silva

O presidente da junta de Lordelo garante que que já foram transferidos cerca de 42 mil euros para a conta da família e que o pagamento da indemnização está a ser feito de acordo com o estabelecido num acordo. Mas a mulher e a filha da vítima garantem que o acordo nunca chegou a ser formalizado.

“Estivemos várias vezes a combinar reuniões, mas não houve interesse deles em aparecer. Como é que a junta pode dizer que está a respeitar um acordo que não existe porque nunca chegou a ser assinado?”, questiona a filha Daniela Ferreira.

Após a morte de Daniel, que sustentava a casa com o ordenado que ganhava na junta, a família ficou numa situação financeira complicada. “Passamos grandes dificuldades. O que nos valeu foi a ajuda de familiares e da câmara de Paredes, que nos ajudou a pagar a renda. Nunca a junta veio cá perguntar-me se eu precisava de alguma coisa”, lembra a mulher da vítima, Ana Silva, que ficou sozinha com três filhos para criar: Sérgio com 3 meses e as duas filhas, Estela e Daniela, que na altura tinham 16 e 19 anos de idade.

 

Leia a notícia completa na edição em papel de 8 de fevereiro de 2018 ou subscreva a edição online.

Share This: