Esperadas cerca de 10 mil pessoas no Festival de Churrasco Brasileiro

Publicado em Publicado por: O Paredense

Cozinheiros de vários países e carnes grelhadas de diferentes maneiras serão a principal atração do Festival de churrasco brasileiro que vai ocupar o parque da cidade de Paredes até domingo.

Durante o fim de semana, vão passar pelo festival cerca de 30 churrasqueiros de vários países para assar carnes com diferentes métodos.

Os visitantes vão poder provar as carnes assadas com técnicas brasileiras e aproveitar a festa e o convívio. Costela no fogo de chão, leitão na cruz e borrego na cruz são apenas algumas das iguarias que serão servidas neste festival.

A entrada gratuita e este ano a organização espera receber cerca de 10 mil pessoas.

O segredo é o convívio”

Pelo segundo ano consecutivo em Paredes, o festival de churrasco brasileiro pretende, sobretudo, dar a conhecer a cultura brasileira do churrasco, que tem tudo a ver com comida, cerveja e convívio entre amigos.

“Portugal trata o churrasco como uma refeição. O brasileiro trata o churrasco como um evento que dura todo o dia. A primeira regra é não ter regra. O segredo é o convívio”, explica o chef Samuel Barros sócio do restaurante Fornalha que organiza o evento em parceria com a câmara municipal de Paredes.

Samuel é também presidente da Associação Portuguesa de Churrasqueiros e pretende criar em Portugal um campeonato de churrasco para incentivar as pessoas a fazer churrascos e aprender as melhores técnicas.

Samuel Barros, da organização

Samuel Barros, da organização

Conheceu Paredes em 2015 através de um comerciante local de azeite. Mais tarde, Samuel  montou uma empresa de cabazes de produtos biológicos no Porto. “Quando surgiu a oportunidade de organizar o festival de churrasco em Portugal a primeira coisa que eu pensei foi devolver para a cidade que me acolheu aquilo que recebi”, explica o chef brasileiro, que garante ter sido muito bem recebido em Portugal.

Este ano a principal novidade está na demonstração de diferentes técnicas de fazer churrasco, além do fogo de chão, como o fumador de carne americano ou a parrilha, típica da Argentina.

Os acompanhamentos também vão variar ao longo dos dias, desde arroz de carreteiro e arroz caldoso, até ao molho tsasiki, típico da Grécia.

No sábado, vão passar pelo festival  cozinheiros da Grécia, para confecionar assados gregos e um chef marroquino.

Um dos métodos utilizados para assar a carne, o chamado fogo de chão brasileiro, muito utilizado no sul do Brasil, permite a confeção lenta da carne, tornando-a mais macia e leve.

Fogo de chão brasileiro

Fogo de chão brasileiro

Sérgio Fernandes, funcionário público no Brasil, é apaixonado por cozinha e tem dado a conhecer esta tradição brasileira em vários lugares.

Sérgio Fernandes

Sérgio Fernandes

“É uma tradição que vem dos nossos antepassados que colonizaram o Brasil, os portugueses. Como as pessoas não tinham muitos recursos faziam esse tipo de assado. Colocavam espetos no chão, o fogo em baixo e iam curtindo até ficar pronto. Hoje isso já virou uma cultura na região do sul do Brasil”, salienta o brasileiro natural de São Paulo.

O segredo, garante, está no equilíbrio da quentura. “O fogo não pode estar muito quente, para não queimar a carne, nem muito baixo porque senão não vai assar a carne. Numa costela, por exemplo, são precisas umas oito horas para ficar no ponto. Mas a espera vale a pena”, sublinha.

Maria Maia, da empresa Queijo Coalho Portugal, com sede em Braga

Maria Maia, da empresa Queijo Coalho Portugal

Além das carnes, a gastronomia brasileira vai também estar representada por outros produtos, como tapioca, pão de queijo, coxinha de frango, queijo coalho, gelado, açaí, etc, apresentados por diversos comerciantes da região, incluindo de Paredes.

Maria Maia, de Pernambuco, veio promover uma iguaria muito típica do nordeste brasileiro, o queijo coalho.

“Temos um fabrico de queijo localizado em Braga. O queijo coalho é muito procurado não só pela comunidade brasileira, mas também pelos portugueses”, garante a empresária, que trabalha tanto com particulares como com restaurantes e empresas.

A empresa Queijo Coalho Portugal foi inaugurada há 4 anos e produz cerca de 200 quilos de queijo coalho por dia para Portugal, Suíça, Holanda, França, Espanha e vários outros países da Europa.

 

Evento para toda a família

Este ano a organização espera receber cerca de 10 mil pessoas, estimando que o impacto económico para o concelho de Paredes ronde 1,5 milhões de euros por dia.

Além das várias atrações gastronómicas haverá também atividades para os mais novos se divertiram, insufláveis, palhaços, mágicos e até workshop’s de churrasco para crianças.

Share This: