Episódio de violência com autocarro do Rebordosa gera troca de acusações

Publicado em Publicado por: O Paredense

A presidente da junta de Rebordosa, Salomé Santos, e o presidente da direção do Aliados de Lordelo, Filipe Carneiro, envolveram-se numa acesa troca de acusações na última Assembleia Municipal a propósito do episódio de violência com o autocarro que transportava jogadores e dirigentes do Rebordosa Atlético Clube, à saída do estádio cidade de Lordelo, após o jogo com a equipa lordelense, realizado a 12 de outubro.

O autocarro, que pertencia à junta de Rebordosa, foi apedrejado por elementos supostamente afetos à equipa da casa, tendo sofrido vários danos materiais.

A autarca de Rebordosa acusou os diretores do Aliados de Lordelo de nada terem feito após o “lamentável incidente” que “não teve implicações maiores, por sorte”.

Presente na sala, o vereador e presidente do Aliados de Lordelo, Filipe Carneiro, pediu para intervir em defesa da honra. “Não podia estar calado porque quem não se sente não é filho de boa gente. É público e está na imprensa que o Aliados fez o que tinha de fazer. Na mesma hora em que tomamos conhecimento da situação pedi ao meu vice-presidente para ligar ao presidente do Rebordosa e eu próprio liguei ao treinador , Tonanha, que é um amigo pessoal. Tomamos todas as providências necessárias”, reiterou o dirigente, acusando a autarca de Rebordosa de aproveitamento político.

A notícia completa na edição em papel de 12 de dezembro de 2019 ou na edição online.

Share This: