Domínio não foi suficiente

Publicado em Publicado por: O Paredense

Texto escrito por Cristina Borges.

A chuva deu tréguas a Paredes e Leça que se defrontaram no Complexo Desportivo da Cidade Paredense em jogo a contar para a 11ª jornada do Campeonato de Portugal.

Ainda se ouvia o eco do apito inicial e já o Paredes festeja. Madureira inaugurou o marcador ainda o relógio não marcava um minuto.

A partir daí, o Leça tentou “recompor-se do duro golpe” e chegou ao empate aos 20 minutos. Jorginho tocou a bola com a mão dentro da área e o árbitro assinalou grande penalidade. Na conversão, Isaac não desperdiçou e empatou a partida.

O Leça não precisou de muito tempo para dilatar a vantagem, cinco minutos depois, Adilson fez o segundo da equipa leceira com um remate dentro da área. O Paredes tentou responder de canto, mas o remate de Ismael foi direto às mãos de Cláudio. Logo a seguir, foi novamente o guardião visitante a negar o golo a Madureira.

Mesmo em cima do intervalo, os homens da casa ficaram a reclamar penálti sob Jorginho, mas o árbitro nada assinalou.

O Paredes foi a perder por 0 – 2 para o intervalo, mas entrou focado e determinado na segunda parte. Jorginho tentou redimir-se, mas o remate do camisola 11 saiu a poucos centímetros da baliza contrária. Do outro lado, Isaac também tentou, mas Danny evitou o golo.

Os paredenses pressionavam e obrigaram o Leça a jogar no seu meio-campo. A equipa de Eurico Couto não abrandava o “caudal ofensiva” e os leceiros tinham de se aplicar na atenção defensiva. A insistência “deu frutos”, Nuno Moreira cruzou para o cabeceamento certeiro de Madureira que empatou a partida. Até ao final da partida, o Paredes ainda criou várias situações que podiam ter dado o golo da vitória, mas o empate seria mesmo o resultado final.

Já no período de descontos, Joel foi expulso por acumulação de amarelos.

Com o empate, o Paredes manteve-se no nono lugar com 16 pontos. Já, o Leça ocupa a 4ª posição com 20.

No final do encontro, Eurico Couto mostrava-se visivelmente insatisfeito com o resultado: “É um jogo sempre diferente, porque o Leça foi a equipa que subiu connosco e, por isso, estes duelos são sempre interessantes e motivadores. Hoje em campo fomos muito superiores. Eu tinha pedido aos jogadores para serem formidáveis e acho que foi exatamente isso que eles foram. Na minha opinião, apenas os erros constantes da equipa de arbitragem colocaram o Leça neste jogo. O Leça leva daqui um empate, não por mérito próprio, mas por erros inacreditáveis que aconteceram neste jogo. Hoje tiraram-nos claramente os três pontos”.

O técnico paredense não escondia a revolta com a que considera ter sido “uma má exibição da equipa de arbitragem”: “A equipa de arbitragem cometeu inúmeros erros que nos prejudicaram imenso e estou desiludido com isso. O que me deixa ainda mais triste é perceber que, se tivéssemos feito 4 ou 5 golos, não iríamos ganhar o jogo. Não sei por quê mas não nos apitam penáltis. Nós temos cinco jogos em casa e, neste momento, temos seis penáltis contra. Há aqui qualquer coisa que não estou a perceber. Mas importante salientar que, apesar de todas as condicionantes, nós fomos muito superiores”.

Sobre o golo marcado mesmo no final da partida, Eurico Couto garante “Nós acreditamos sempre. Os jogadores têm uma alma enorme e uma capacidade de superar resultados difíceis de encontrar”.

Do outro lado, Domingos Barros apontava o golo sofrido cedo e má exibição da segunda parte para o desfecho do resultado: “Sofrer um golo tão cedo muda logo qualquer tipo de estratégia e condiciona inequivocamente o jogo. Tivemos outra condicionante devido a lesão, mas acho que fizemos uma primeira parte fantástica. No intervalo, fomos obrigados a fazer outra substituição novamente por lesão e na segunda parte acho que não existimos em campo. O Paredes, na segunda parte, foi muito superior a nós e temos de aceitar o empate”.

O ponto acaba por ser “o mal menor”, na opinião do técnico leceiro: “O campeonato é de somar e não de sumir e somámos mais um ponto, algo que é sempre importante, mas depois de estarmos a vencer durante tanto tempo, acabámos por ficar com aquele sentimento agridoce. Contudo, penso que foi o resultado mais justo porque o Paredes também não merecia sair derrotado”.

Share This: