Direção dos Bombeiros de Cete suspeita de “falsificação de assinaturas”

Publicado em Publicado por: O Paredense
Responsáveis da instituição vão seguir com o caso para o Ministério Público.

Responsáveis da instituição vão seguir com o caso para o Ministério Público.

A direção dos Bombeiros Voluntários de Cete não vai marcar a Assembleia Geral Extraordinária que foi solicitada pelo presidente da mesa da Assembleia, Saúl Ferreira, na sequência de um abaixo-assinado subscrito por 129 associados desta, que exigiam a demissão da direção.

Em causa estão “fortes suspeitas” de que várias dessas assinaturas terão sido “falsificadas” e que “as restantes não resultam de qualquer declaração de vontade por parte de qualquer associado, uma vez que não existe qualquer nexo entre as pretensas assinaturas e o pedido de realização da referida assembleia”.

Ao jornal O PAREDENSE, o presidente da direção, Celso Moreira, garante ainda que a instituição vai avançar com uma queixa-crime contra os autores deste abaixo-assinado por “difamação e ataque ao bom nome da instituição e de quem a representa”. “Só estamos à espera que o presidente da Assembleia-geral nos indique os nomes dos autores deste abaixo-assinado para levar o processo ao Ministério Público”, garantiu o responsável.

Ao Ministério Público chegará também uma queixa contra alguns dos  bombeiros que em janeiro passado pediram a passagem ao quadro de reserva. A direção diz que alguns destes elementos foram a empresas da localidade solicitar assinaturas em papéis não acompanhados de qualquer requerimento, justificando falsamente que tal documento tinha por base o facto de os bombeiros de Cete estarem encerrados.

 

Leia a notícia completa na edição em papel de 23 de fevereiro de 2017 ou subscreva a edição online.

Share This: