Desperdício de oportunidades dita derrota

Publicado em Publicado por: O Paredense

Texto escrito por Cristina Borges.

Na 17ª jornada do Campeonato de Portugal, o União Sport Clube de Paredes recebeu o Castro Daire. A equipa unionista defrontava um dos adversários diretos na tabela classificativa, o que impunha à vitória um caráter ainda mais importante. Ainda assim, foram os visitantes a assumir o domínio do jogo e a deter o controlo do mesmo durante os primeiros 20 minutos da partida. Com maior posse de bola, o Castro Daire esforçava-se para atacar a baliza paredense, mas sem causar perigo ao guardião Dani Carvalho.

O Paredes “encontrou-se” e conseguiu equilibrar o encontro, a primeira parte decorria com um domínio repartido e sem ocasiões de golo evidentes. As equipas procuravam inaugurar o marcador, mas sem sucesso.

O nulo manteve-se até ao intervalo e, no segundo tempo, os homens da casa entraram melhores. Logo aos 50 minutos, foi por pouco que Everton não fez o 1 – 0.

Os comandados de Eurico Couto pressionavam, mas foram os castrenses a chegar à vantagem. Num lance dentro da área paredense, os da casa ficaram a “reclamar” fora de jogo enquanto Marcel Ribeiro atirou “a contar” para o fundo da baliza de Dani Carvalho.

Até ao fim do encontro, o Paredes intensificou o “caudal” ofensivo, a turma da casa podia por diversas vezes ter empatado a partida, mas desperdiçou inúmeras oportunidades. A formação do concelho não mostrou “pontaria afinada” na finalização e “pagou a fatura” com a derrota no final da partida.

O desaire “travou” o bom momento de forma do Paredes, que chegou à 17ª jornada com quatro vitórias consecutivas. A turma paredense desceu ao 6º lugar e manteve os 29 pontos, o Castro Daire está em sétimo com 26.

No final do jogo, Eurico Couto mostrava-se insatisfeito com o desempenho dos jogadores: “Fizemos o suficiente para, pelo menos, empatarmos o jogo, ou seja construímos várias oportunidades e fomos muito perdulários nesse capítulo, mas perante o comportamento individual e coletivo que demonstramos a derrota é merecida. Tivemos quatro ausências de jogadores relativamente aos últimos jogos mas isso não justifica o nosso comportamento”. O técnico paredense acrescentou ainda: “Ganhar muitas vezes é mesmo só para alguns e saber ganhar é muito mais importante que saber perder. Nós baixámos os índices de concentração, intensidade, compromisso, dedicação e, quando assim é, tornamos a tarefa do adversário muito mais simples e esse foi o fator primordial da derrota”.

Quanto a “mexidas” no plantel, Eurico Couto é perentório: “O plantel será este até ao fim sem qualquer mexida”.

Share This: