Depressão “Helena” traz chuva e vento forte até sábado

Publicado em Publicado por: O Paredense

A Proteção Civil do Município de Paredes alerta os munícipes que estão previstas condições atmosféricas adversas com chuva e vento muito forte até ao próximo sábado, dia 2 de fevereiro. Este vento poderá ter muito impacto e causar estragos.

Na quinta-feira, a Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), emitiu um alerta para a possibilidade de “fenómenos extremos de vento”.

A depressão “Helena” deixa Portugal em alerta e traz chuva e ventos muito fortes, divulgou o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

Para esta sexta-feira, 1 de fevereiro, as previsões indicam também forte agitação marítima na costa portuguesa que levou à emissão de aviso vermelho, o risco mais elevado numa escala de 4.

Além do aviso vermelho e laranja para agitação marítima e vento, o IPMA colocou também sob aviso amarelo os distritos de Évora, Viseu, Porto, Guarda, Faro, Setúbal, Santarém, Viana do Castelo, Lisboa, Leiria, Beja, Castelo Branco, Aveiro, Coimbra, Portalegre e Braga por causa da chuva.

Aviso da ANPC – medidas preventivas e de autoproteção:

– Garantir a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada de inertes e outros objetos que possam ser arrastados ou criem obstáculos ao livre escoamento das águas;

– Adotar uma condução defensiva, reduzindo a velocidade e tendo especial cuidado com a possível acumulação de neve e formação de lençóis de água nas vias;

– Transporte e colocação das correntes de neve nas viaturas, sempre que se circular nas áreas atingidas pela queda de neve;

– Não atravessar zonas inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas ou viaturas para buracos no pavimento ou caixas de esgoto abertas;

– Garantir uma adequada fixação de estruturas soltas, nomeadamente, andaimes, placards e outras estruturas suspensas;

– Ter especial cuidado na circulação e permanência junto de áreas arborizadas, estando atento para a possibilidade de queda de ramos e árvores, devido ao vento forte;

– Ter especial cuidado na circulação junto da orla costeira e zonas ribeirinhas historicamente mais vulneráveis a galgamentos costeiros, evitando se possível a circulação e permanência nestes locais;

– Não praticar atividades relacionadas com o mar, nomeadamente pesca desportiva, desportos náuticos e passeios à beira-mar, evitando ainda o estacionamento de veículos muito próximos da orla marítima;

– Estar atento às informações da meteorologia e às indicações da Proteção Civil e Forças de Segurança.

Share This: