Concelho de Paredes sem festas e romarias até ao final do ano

Publicado em Publicado por: O Paredense
FOTO: DR

O surto de Covid-19 está a levar várias entidades e instituições do país a cancelar ou adiar eventos, incluindo festas, feiras e romarias. Na região, várias festividades foram canceladas por exemplo o São João, no Porto, e em Sobrado, Valongo, e as festas de Nossa Senhora de Matosinhos, que foram interrompidas pela primeira vez em quase 70 anos.

Nos concelhos de Paredes e Penafiel, por exemplo, as festividades que iam acontecer nos próximos meses foram canceladas pelas autarquias. Em Paredes, o município deliberou, no início do mês, não conceder licenças para a realização de festas e romarias durante o ano de 2020.

O presidente da câmara garantiu ao PAREDENSE que as festas “só serão retomadas quando for possível”. Alexandre Almeida lembrou que as comissões estão condicionadas na angariação de verbas para a realização de festas devido ao confinamento e garantiu que “nesta fase em que devemos manter o mínimo de contatos sociais possíveis, a câmara assumiu preventivamente não atribuir licenças até ao final do ano”.

Se as condições se proporcionarem, e sempre em diálogo com os padres, poderão ser realizadas celebrações religiosas, sempre a definir caso a caso, acrescentou o autarca.

Apesar do impacto económico, a maioria das comissões de festas ouvidas pelo PAREDENSE considerou a medida “sensata”, tendo em conta as incertezas que se vislumbram sobre o fim da pandemia.

É o caso da comissão que organiza as Festas de S. Miguel em Rebordosa, que se realizariam entre os dias 3 a 6 de julho. Este ano a comissão era presidida pelo vereador Elias Barros, sendo as festas organizadas com o apoio da Promov, liderada por Mário Pacheco.

A reportagem completa na edição digital de 30 de abril que pode aceder gratuitamente aqui.

Share This: