CHTS assinala Dia Mundial da Prematuridade com homenagem a pais e profissionais (c/vídeo)

Publicado em Publicado por: O Paredense

A equipa do “Crescer com Afetos”, um projeto de apoio à parentalidade da Unidade de Neonatologia do Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa (CHTS) preparou um vídeo de tributo aos pais de prematuros e aos profissionais para assinalar o Dia Mundial da Prematuridade, celebrado hoje, 17 de novembro.

As comemorações iniciaram-se na segunda-feira com a publicação da primeira imagem de uma série temática dirigida aos pais de prematuros com o intuito de “promover a partilha de testemunhos e experiências sobre a prematuridade”. Estas imagens estão a ser publicadas diariamente, ao longo da semana, na página de Facebook do “Crescer com Afetos”

O vídeo que foi hoje divulgado aborda a vivência dos pais e profissionais na Unidade de Neonatologia e o desenvolvimento destes bebés, “pequenos demais para o colo, imensos para o coração”. 

A estátua do Padre Américo vai ser também iluminada de roxo, a cor que simboliza a prematuridade. 

A maternidade do CHTS é uma das maiores do país, com mais de 2.300 crianças a nascer anualmente, havendo por parte do hospital uma aposta muito grande na área materno-infantil que, até ao final do ano, vai ter um novo espaço com melhores condições de conforto e privacidade para mães e bebés. 

Em 2018, o número de partos foi de 2.317, dos quais 6% foram recém-nascidos de baixo peso, o que corresponde a 371 recém-nascidos internados na Unidade de Neonatologia do CHTS.  

Neste ano, 2018, a taxa de cesarianas era de 22%, ou seja, mais baixa que a taxa nacional. Em 2019, apesar da ligeira subida, este indicador de qualidade mantem-se, estando a taxa de cesarianas do CHTS nos 23,1% e a taxa nacional situada nos 29,79%. 

Em todo o mundo, 1 em cada 10 bebés nasce prematuro. 

Em Portugal a prematuridade é de cerca de 8% e a prevalência de prematuros abaixo das 32 semanas de 1,2%. “Os avanços tecnológicos aliados ao conhecimento científico têm permitido a sobrevivência de recém-nascidos de idades gestacionais cada vez mais baixas, sendo a redução da morbilidade um dos objetivos major em neonatologia”, refere o CHTS em comunicado. 

Sobre o projeto “Crescer com afetos” 

“Este projeto surgiu da necessidade de humanizar ainda mais os cuidados neonatais, ajudando e acompanhando os bebés e famílias ao longo do internamento e mesmo após a alta”, explica o CHTS.

Criado em 2015, o “Crescer com Afetos” este projeto pioneiro de apoio à parentalidade envolve uma equipa multidisciplinar que utiliza várias técnicas já implementadas em algumas unidades de cuidados intensivos neonatais Internacionais, mas segundo uma abordagem inovadora adaptada à Unidade de Neonatologia do CHTS. 

Sobre a Unidade de Neonatologia 

Além do berçário, a Unidade de Neonatologia, que integra o Serviço de Pediatria, dispõe também de uma Unidade de Cuidados Intensivos e Intermédios Neonatais que presta assistência a recém-nascidos com idade gestacional a partir das 30 semanas. 

Esta Unidade possui uma equipa especializada no apoio aos recém-nascidos prematuros ou com problemas, prestando-lhes assistência antes do parto, no parto e até à sua alta hospitalar e, em alguns casos, até após a alta. 

Share This: