CDS fez balanço dos primeiros 100 dias do mandato do PS na câmara

Publicado em Publicado por: O Paredense
CDS traçou um balanço negativo dos primeiros três meses do PS na câmara

CDS traçou um balanço negativo dos primeiros três meses do PS na câmara

A Comissão Política do CDS-PP de Paredes fez, no passado dia 6 de fevereiro, um balanço dos primeiros 100 dias do executivo da câmara de Paredes, liderado pela maioria socialista, encabeçada por Alexandre Almeida.

Para o CDS-PP, “são evidentes alguns indicadores preocupantes do que é e do que poderá ser a gestão “socialista” do PS/Paredes, no executivo.” José Miguel Garcez acusou Alexandre Almeida de tentar fugir da auditoria às contas que tinha prometido durante a campanha eleitoral.

“Como é que Alexandre Almeida pode explicar todo o passivo que o PSD deixou? Como pode explicar como e quando se gastou rios de dinheiro em projetos como o Planet Valey, a cidade inteligente, o Art on Chairs, a cidade desportiva?”, questionou José Miguel Garcez, garantindo que além da auditoria às contas, o CDS já tinha defendido auditorias às últimas contratações do executivo do PSD em tempo eleitoral e ao processo das águas.

Na conferência de imprensa, que decorreu na sede do partido, o presidente do CDS-Paredes considerou ainda que os primeiros 100 dias do executivo socialista ficaram marcados por “um vazio de ideias” e por “várias promessas não cumpridas”.

O CDS acusou o executivo de não cumprir com a promessa eleitoral de baixar o IMI em 2018, de fazer o pagamento integral dos manuais escolares e de requalificar o pavilhão gimnodesportivo das Laranjeiras.

 

Leia a notícia completa na edição em papel de 8 de fevereiro de 2018 ou subscreva a edição online.

Share This: