Câmara vai avançar com expropriação do Complexo Desportivo das Laranjeiras

Publicado em Publicado por: O Paredense

Após a aprovação do documento na Assembleia Municipal o Complexo das Laranjeiras passará a estar classificado como zona de equipamentos.

A câmara municipal de Paredes vai avançar com um processo de expropriação do Complexo Desportivo das Laranjeiras. A resolução foi aprovada hoje, por unanimidade, em reunião do executivo, e surge depois de um ano de negociações com a administradora de insolvência.

O valor da expropriação deverá rondar 1,6 milhões de euros, valor semelhante ao da proposta que a autarquia fez em janeiro de 2017 quando o imóvel foi comprado em hasta pública.

Mais tarde, e já na governação do atual executivo, o Tribunal de Contas acabou por vetar o negócio, alegando que o município tinha violado a Lei de Compromissos e garantindo que este não podia ter avançado com a compra nem dado um sinal de 300 mil euros sem ter o visto prévio.

Na reunião de câmara desta quinta-feira, o presidente da câmara, Alexandre Almeida, garantiu que após um ano de negociações com a Administradora de insolvência o município conseguiu que os 300 mil euros do sinal fossem descontados no valor a pagar pela expropriação.

O processo ainda será discutido na próxima Assembleia Municipal, agendada para 22 de fevereiro, mas o autarca acredita que em março já deverá ser possível assinar as escrituras.

Em relação ao futuro do complexo, o autarca garantiu que o executivo está neste momento a estudar várias hipóteses. Para já é certo apenas que o gimnodesportivo vai ser transformado num pavilhão multiusos. Em relação ao estádio, Alexandre Almeida assumiu que depois de tomar efetivamente posse do espaço vai reunir com os responsáveis do União de Paredes para discutir a possibilidade de o clube voltar a jogar nas Laranjeiras.

Na mesma reunião foi também aprovado o reconhecimento público municipal do projeto da piscina ao ar livre, que será construída num terreno no parque da cidade de Paredes. Esta declaração de interesse público municipal vai permitir desafetar o terreno, que está em reserva agrícola.

No mesmo espaço deverá nascer também um bar de apoio.

 

Pode ler a notícia completa com todos os desenvolvimentos na próxima edição do jornal.

Share This: