Ano novo, preços novos: saiba o que muda já a partir de janeiro

Publicado em Publicado por: O Paredense
Preços da eletricidade, telecomunicações, tabaco, rendas e automóveis aumentam.

Preços da eletricidade, telecomunicações, tabaco, rendas e automóveis aumentam.

Com a entrada de um novo ano chegam os tradicionais aumentos de preços. Em 2017 estes aumentos acontecem quer por influência do Orçamento de Estado como pelo habitual aumento calculado com base na inflação. Eletricidade, telecomunicações, bebidas, tabaco, rendas e automóveis são alguns dos produtos e serviços que ficam mais caros este ano. Mas nem tudo são más notícias. 2017 será o último ano da sobretaxa para 80% dos agregados familiares portugueses. Além disso, o rendimento dos portugueses vai aumentar por via da subida do salário mínimo nacional e das pensões. Deixamos-lhe aqui alguns exemplos do que vai mudar já a partir deste mês.

 

 eletricidade Aumento da eletricidade

Para 1,3 milhões de clientes que ainda se mantêm no mercado regulado a fatura da eletricidade vai  sofrer um agravamento de 1,2% já a partir deste mês. No mercado livre os aumentos poderão ser  idênticos.

 

Gás

No gás natural não há aumentos pelo menos até 1 de julho de 2017, mês em que são feitas as atualizações. Na última mexida, as tarifas do gás natural baixaram para todos os segmentos de consumidores.

 

TelecomunicaçõesTelecomunicações

Para já apenas a MEO revelou ter procedido a uma subida de 2,5% dos preços em novembro último. Tanto a NOS como a Vodafone garantiram que não ter aumentos previstos para janeiro, mantendo as tarifas de 2016, que já tinha sido ajustadas ao longo do ano.

 

Bebidas

Os impostos sobre as cervejas, bebidas espirituosas, sidras e hidromel vão subir em média 3% face aos valores aplicados em 2016. Por via do Orçamento de Estado as bebidas açucaradas vão também suportar uma taxa (a fat tax) que incide sobre o nível de açúcar. Na mira estão bebidas como as colas, refrigerantes, ice-tea ou as sidras. O imposto vai oscilar entre 8,22€ e 16,46€ por hectolitro.

 

Leia a reportagem completa na edição em papel de 12 de janeiro de 2017 ou subscreva a edição online.

Share This: