Aliados ultrapassa Avintes e avança para “as meias”

Publicado em Publicado por: O Paredense
FOTO: Facebook Aliados de Lordelo

FOTO: Facebook Aliados de Lordelo

Texto de Cristina Borges.

O Aliados de Lordelo deslocou-se a Vila Nova de Gaia para defrontar o Avintes. Depois de um nulo, durante os noventa minutos, os lordelenses conseguiram a vitória ao bater os gaienses por 4 – 5, nas grandes penalidades.

Com ambas as equipas a ocuparem o 5.º lugar da Divisão de Elite, cada uma na sua respetiva série, Avintes e Aliados procuravam dar o seu máximo para conquistar um lugar na meia-final da Taça da Associação de Futebol do Porto. Talvez por isso, o jogo se tenha mantido equilibrado.

Os lordelenses foram mais dominadores e criaram as melhores oportunidades de golo na primeira parte, mas, no segundo tempo, o equilíbrio foi mesmo nota dominante e o jogo teve de ser desempatado nas grandes penalidades.

Nos penáltis, o Avintes falhou logo o primeiro e Pedrinho desperdiçou o 3.º do Aliados. Após a conversão de cinco penalidades, o resultado marcador mantinha-se empatado, desta vez, por 4-4. No primeiro penálti do desempate, Nico fez uma grande defesa e, logo a seguir, Preto não desperdiçou a ocasião decisiva e fixou o resultado final em 4-5, colocando assim o Aliados de Lordelo nas meias-finais da Taça da AF Porto.

Juvenal Brandão: “Não há nenhuma competição que amenize os resultados da outra”

No final da partida, Juvenal Brandão considerava: “Jogámos contra uma boa equipa, criámos boas oportunidades, essencialmente, na primeira parte. No segundo tempo, não se jogou tão bem e as equipas defenderam bem. Nos penáltis qualquer equipa podia ter vencido. Vencemos nós e ainda bem, porque era um objetivo do clube.”

Sobre a justiça da vencibilidade nas grandes penalidades, o técnico lordelense refere: “Nunca falei de justiça ou falta dela. Se, nos 90 minutos ficou 0-0, é porque não houve capacidade para ultrapassar as defesas e os guarda-redes. Foi o primeiro jogo em que não marcámos nenhum golo e, isso, por si só é anormal. Nos penáltis é uma mistura de sorte e competência.”

Confrontado sobre se o facto de vencer a taça é uma forma de “amenizar” a época do Aliados depois de, praticamente, terem sido afastados do 2.º lugar, que dá acesso à disputa pela subida de divisão, Juvenal Brandão responde assim: “Não há nenhuma competição que amenize os resultados da outra. Nós queríamos vencer todos os jogos. Já antes tínhamos jogado para a Taça, em Vila Meã, e fomos com o objetivo de continuar na prova. Mesmo que, na jornada anterior, para o campeonato, tivéssemos ganho e mantido os 2 pontos sob o Tirsense, íamos a Avintes para passar a eliminatória. Não consigo priorizar competições. Queríamos sucesso nas duas. O nosso objetivo é sempre ganhar e todos os jogos que tivermos até final é para ganhar.”

Share This: